| em 19 outubro 2008

O Sucesso no Fracasso

"Porém o Senhor disse a Davi, meu Pai:
Porquanto propuseste no teu coração o edificar
a casa ao meu nome, bem fizeste em o propor no
teu coração." I Reis 8.18

O título desta mensagem pode provocar alguma reação porque seus termos são contrastantes e antagônicos - o sucesso no fracasso ou na derrota.

O prezado leitor poderia indagar: É possível uma pessoa derrotada ser vitoriosa? É possível uma pessoa que falhou ter uma vitória ?

Vamos ler, cuidadosamente, o texto em pauta, principalmente o versículo 18: "Porquanto propuseste no teu coração o edificar casa ao meu nome, bem fizeste em o propor no teu coração."

Acredito que construir a casa do Senhor foi a ambição suprema do rei Davi. Um templo a Deus.

O rei Davi governou Israel com muita sabedoria. Compôs vários salmos, salmos que estão na Palavra de Deus. Para mim sua obra máxima é o Salmo 23. Também magnífico é o Salmo 121, estes dois os que me são mais queridos, e, creio, para qualquer mortal. Davi era cantor, compositor, exímio harpista. Além disso, era um grande general. Nunca voltou derrotado de suas batalhas. Governou Israel com mão forte. Apesar de tudo isso, a sua maior ambição não foi realizada. Seu maior sonho não se concretizou.

Deus permitiu grandes feitos, concedeu-lhe muitas vitórias, entregou em suas mãos os inimigos, mas não lhe permitiu construir o templo. O sonho maior de sua vida - construir a casa de Deus -, isto o Senhor não lhe permitiu fazer.

Uma vez que Davi não logrou fazer o que mais queria, ele pode nos parecer um fracassado.

Já velho, o rei Davi morreu. Israel o pranteou e o sepultou. Não poderia o epitáfio de sua sepultura ser "aqui jaz um rei que falhou, que decepcionou"? Não. No pensamento de Deus, seu epitáfio seria o que lemos em nosso texto: "Bem fizeste em o propor no teu coração".

Serviria esta mensagem para todos? Muitos estão iniciando a vida. São jovens, são adolescentes que vêem esperança em tudo, que enxergam tudo verde, que têm grandes sonhos.

A mensagem serve, sim, para esses, porque vem preveni-los sobre as batalhas da vida. Ela é também adequada para aqueles cujos sonhos nunca se concretizaram na vida.

Você tem um sonho. Viveu aquele sonho. Lutou por ele. Viveu por aquele ideal, mas ele não se concretizou. Você falhou...

...Talvez no casamento. Você se preparou para esse casamento, deu tudo o que era seu para ele, ou deu tudo o que era seu para ela. Tentaram construir um lindo lar, um ninho de amor, mas a expectativa falhou. Decepção. Derrota.

...Talvez um filho. Você esperava muito daquele filho, investiu tanto naquela filha. Sacrificou-se at&eacite; no seu vestir e no seu comer pela educação daquele filho, daquela filha. E não deu em nada. Só tem problemas com ele, ou ela.

...Talvez nos seus negócios. Você sonhou com uma grande empresa, uma grande firma, mas nada aconteceu. Você ficou endividado, derrotado.

Ou talvez seu sonho foi no campo intelectual. Você esperava ser um grande advogado, um notável cirurgião ou um renomado psicólogo, um homem de grande cultura. Mas nada conseguiu. Nada se concretizou.

Você propôs no seu coração, mas seu propósito não foi alcançado.

Há no Velho Testamento um outro personagem que teve experiência semelhante à do rei Davi. Foi Moisés. Milagrosamente salvo das Águas. Levado para os braços da filha do rei do Egito. Criado no palácio real egípcio. Um príncipe! Quarenta anos de preparo e de cultura. Depois mais quarenta anos preparando-se no deserto. Aí Deus o chamou. Por mais 40 anos, Moisés liderou o povo de Israel e foi servo de Deus. Por quarenta anos foi instrumento e veículo do Senhor, um profeta de Deus. Arrancou com mão forte seu povo da escravidão do Egito. Viu as dez pragas terríveis abatendo-se sobre o Egito, destruindo aquela rica nação. Guiou os milhões de irmãos em demanda da Terra Prometida.

Logo no início da jornada, Moisés defrontou-se com uma terrível situação. À frente do seu povo, o Mar Vermelho. Atrás, o exército de Faraó. Comprimido, ele apelou para Deus. E Deus lhe disse: "Dize aos filhos de Israel que marchem" (Êxodo 14.15).

Moisés toca no Mar Vermelho e as Águas se abrem. Ele atravessa, a pé enxuto, com a multidão para o outro lado. Os inimigos os seguem, mas as águas se fecham sobre eles, e os filhos de Israel contemplam seus corpos mortos na praia. Os inimigos do povo de Deus aniquilados. Sim, porque quem é inimigo do povo de Deus é também inimigo de Deus. Quem é inimigo dos crentes é inimigo de Deus. E Deus não se deixa escarnecer.

Moisés, à frente do povo, superou dificuldades sem número, viu águas correrem da rocha ao toque do seu cajado, viu o maná cair do céu, viu as codornizes, enfrentou as serpentes ardentes.

Vencendo obstáculos, Moisés guiou o povo pelo deserto durante quarenta anos em direção à Terra Prometida. A Terra Prometida, seu grande sonho! Enfim, o grande líder chega à frente da terra sonhada. Agora vai entrar nela e ver seu ideal concretizado. Mas, o que lhe diz Deus nesse momento ? Diz: "Sobe ao cume de Pisga, e levanta os teus olhos ao ocidente, e ao norte, e ao sul, e ao oriente, e vê com os teus olhos; porque não passarás este Jordão" (Deuteronômio 3.27).

"Mas, eu, Senhor? Eu vivi 120 anos para esta hora. Esperei 120 anos pelo rico privilégio de entrar na Terra Prometida. E agora o Senhor me diz que não vou entrar ?! O que dirá de mim o povo que liderei ? Senhor, eu fiz tanto por Ti!"

"Moisés, sobe ao monte e morre", insistiu o Senhor. E Moisés, que por 120 anos obedeceu a Deus, com cansadas passadas de um centenário, subiu ao alto do monte e ali morreu.

Falhou? Os pessoas talvez diriam que sim. Moisés falhou. Foi um derrotado. Ele quis levar os outros a Canaã, e ele mesmo ali não entrou. Decepção.

Não, prezado amigo, não é bem assim. Não é essa a ética de Deus.

No caso de Davi, na verdade, quando ele morreu ainda não havia sido construído o templo no Monte Moriá, para ser beijado pelo sol no monte. Nada. Mas o interessante é que, quando lemos na Palavra de Deus os livros de I Reis, II Reis, I Crônicas e II Crônicas, notamos que Deus creditou muito a Davi a respeito do templo. "Mas o Senhor disse a Davi, meu pai: Quanto ao teres proposto no teu coração o edificar casa ao meu nome, bem fizeste em o propor no teu coração." Davi não construiu o templo em Jerusalem, mas o construiu no seu coração. Ele morreu sem colocar uma pedra sequer para a edificação do templo, mas, quando Deus olhou em seu coração viu-o construído ali. Deus olha diferentemente dos homens !

Vamos ver que liçães o texto bíblico tem para nós hoje.

Primeiro, percebemos, por esse exemplo, que Deus tem parâmetros diferentes para medir o sucesso de uma pessoa. O teste que Deus aplica é diferente do nosso. Deus mede diferentemente. Ele nos mede não pelo que realizamos mas pelo que desejamos, pelo que ansiamos e temos em nosso coração. É aí que Deus mede. Não nos julga pelo que está nas nossas mãos. Se fulano é rico, se é milionário, se tem gorda importância na caderneta de poupança, se possui lotes, terrenos, apartamentos, ah! ele é um vitorioso.

Deus não mede assim - ele não mede o homem pelo que ele tem nas mãos. Deus mede pelo que ele tem no coração. É completamente diferente a avaliação divina. Como Deus é diferente, amigo leitor!

Nós julgamos pelo exterior, pelo aparente. Deus julga pelo espiritual, pelo que está no coração do homem. Mas, como Deus aplica o seu teste? Como podemos ver seu resultado?

Deus, na sua misericórdia, julga pelo que vê no coração do homem, e não pelo que vê no lado de fora.

Se isto é verdade, muitos julgamentos humanos estão completamente errados. Muitos que pelos homens são considerados os primeiros, na realidade são os últimos. Muitos que estão brilhando como um farol, que parecem um sol, na realidade são para Deus uma pequena lamparina. Em contrapartida, muitos que estão nos últimos lugares, que são os últimos na opinão dos homens, são, na verdade, os primeiros. Por isso, tenhamos cuidado ao julgar os outros. Você está sendo precipitado em julgar um homem ? Em julgar o seu trabalho ? Em apreciar a sua obra ? Cuidado ! O julgamento do homem pode ser uma coisa terrível ! Quantas vezes achamos que alguém é o maior, é muito importante, quando não o é. Muitos que achamos que nada fizeram, que falharam, estes é que são grandes para o Senhor.

Li o caso de um jovem pastor que, com tremendo sacrifício, formou-se no seminário. Foi enorme o seu sacrifício e o de sua família para que ele pudesse cursar o seminário. Ele era arrimo de familia. Sacrificou financeiramente pais e irmãos, sacrificando-se ele mesmo. Não gostava de pedir. Por isso trabalhava exaustivamente e dormia apenas quatro horas por noite. Finalmente formou-se e assumiu o pastorado de uma igreja. Mas trabalhou apenas durante um ano e adoeceu. Ficou tuberculoso e pouco depois morreu quando começava o seu ministério, quando dava início ao trabalho pelo qual tanto se sacrificara. Teria ele fracassado ? Creio que não. Creio que Deus olhou o coração daquele jovem pastor e viu ali uma grande igreja, um grande rebanho, aquela igreja com a qual ele sonhava. Deus não o avaliou por apenas aquele ano de trabalho. Deus o julgou pelo que estava no seu coração.

Li também a história de um missionário que deixou sua terra e foi para a Índia. Trabalhou ali por 10 anos. Sacrificou-se mas não houve nenhuma conversão. Sua saúde ficou abalada devido às febres sucessivas que o acometeram. Aquele missionálrio terminou morrendo sem ver os frutos do seu trabalho. Sua esposa ficou leprosa.

Pergunto: foi um fracasso aquele missionário ? Foi um derrotado ? Creio que não. Ele tinha proposto no seu coração ganhar a Índia para Cristo Jesus. Seu propósito não se concretizou. Ele não pôde atingir seu alvo. Mas esse alvo estava alcançado dentro do seu coração. "Bem fizeste, Davi, em propor em teu coração construir a casa do Senhor".

Nós temos um exemplo verde-e-amarelo, um exemplo bem brasileiro: Mary Ruth Carner, missionária norte-americana. Uma moça bonita, alta - cerca de 1,90m - olhos azuis, longos cabelos cor de fogo, que decidiu trabalhar sob a orientação da Junta de Missões Nacionais. Mary Ruth fez grande amizade com Valdice Queiroz, jovem missionária brasileira. Valdice tinha um biotipo exatamente oposto ao de Mary Ruth. Era baixinha, moreninha, olhos pretos, parecia uma indiazinha. As duas, de mãos dadas com Jesus, percorreram os sertões brasileiros e as matas do Amazonas.

Um dia, bem no coração do Brasil, as duas missionárias entraram num pequeno avião, um monomotor, para mais uma viagem evangelística. Mal o avião começou a levantar vôo na pista, algo estranho aconteceu. O avião começou a perder altura, bateu no chão e se incendiou. Ninguém conseguia aproximar-se porque o fogo era demais. Não havia corpo de bombeiros ali. Quando o fogo acabou e se pôde chegar perto dos destroços, as duas jovens foram vistas carbonizadas, de braços dados. Olhos azuis, olhos pretos, cabelos vermelhos e cabelos negros: duas nações, duas bandeiras, duas irmãs ali num monte de cinzas.

Eu perguntaria: derrota ? Que epitáfio deveria ser colocado no túmulo daquelas duas ? Tenho a certeza de que Valdice e Mary Ruth propuseram no seu coração ganhar o Brasil para Cristo Jesus, e foi isso que Deus viu.

Deus olha o que está no meu coração e não no que está nas minhas mãos.

Eu pergunto solenemente aos jovens: quem deseja tomar o lugar de Valdice e de Mary Ruth ? Moços, o que vocês propuseram em seus corações ? O que está dentro deles ?

Mas, voltemos ao teste. Como é ele e como podemos saber o seu resultado ?

Inicialmente, devo saber que preciso ter bastante cuidado ao analisar este tema. Preciso, como nunca, da unção do Espírito Santo para fazê-lo. Sim, porque preguiçosos e negligentes poderiam me dizer: "Ah! pastor, este sermão me tranquiliza. Estou servindo a Deus com o meu coração". E cruzariam os braços.

Alguém poderia desculpar-se: "Não posso dar o dízimo; não posso frequentar a Escola Bíblica Dominical, ou não tenho condições de atuar junto às obras sociais. Mas Deus esté vendo o meu coração." Dizer que Deus não olha para o que a gente faz com as mãos mas o para o que está proposto no coração pode gerar esse tipo de confusão. Tenhamos cuidado e não entendamos mal. Ainda bem que em nossa igreja não há preguiçosos e negligentes. Não há aqui ninguém que se esconda atrás dessa mensagem e diria que serviria se eu tivesse a habilidade de fulano e o dinheiro de sicrano".

Mas a pergunta que a mensagem deve sugerir ´ esta: Quanto eu posso fazer com aquilo que Deus colocou em minhas mãos?

O que o irmão está fazendo ? Com a sua profissãao ? Com o seu dinheiro ? Com a sua empresa ? A sua empresa está servindo a Deus ? Você colocou Deus como sócio da sua empresa ou o expulsou dela? Você é médico só para ganhar o pão de cada dia ou está fazendo da medicina um instrumento para ganhar almas para Cristo ?

O pastor, por exemplo, pode chegar com a Bíblia aberta muitas vezes diante de um fumante inveterado e dizer a ele que deixe de fumar e que aceite a Cristo, mas ele não ouve. Mas se vem um médico e o adverte que, se não deixar de fumar, ele vai morrer, na mesma hora ele joga o cigarro fora. O médico é um pregador.

Também um advogado diante de uma causa na Vara de Família. Ele vai fazer um desquite ou um divórcio, mas aproveita a oportunidade para conversar com o casal e convencê-lo a permanecer unido. Ele não está pensando no dinheiro que pode ganhar, mas está pensando na união daquele casal e nos filhos que, por trás, estão chorando.

Mas voltemos ao rei Davi. Que evidências deu ele de que o templo de Deus estava construído em seu coração ? Examinemos a atitude de Davi. Ele fez mais do que simplesmente dizer: Ó Deus, eu vou construir um templo para Ti. Sim, ele fez mais.

Davi queria mesmo construir a casa de Deus, queria levantar o maior templo da terra para o seu Deus. Mas o Senhor lhe disse: Não, Davi, você não vai construir esse templo para mim. Outra pessoa o construirá.

Davi podia ter pensado: "Nesse caso, lavo as minhas mãos. Se Deus não permite que eu edifique o templo, ninguém pode me censurar por eu não o edificar. Se é outro quem o vai construir, eu deixo para lá esse assunto..." Mas Davi não pensou nem agiu assim. Ele não perdeu o interesse, mesmo sabendo que o templo seria construído por outra pessoa.

Com muita gente hoje acontece o contrário. Ninguém quer tocar o segundo violino. Quando é outra pessoa que dirige o coral ou a sociedade de senhoras, quando outro está à frente de uma organização, quando é outra pessoa que aparece, o interesse diminue. Quem é responsável que se arrume. É o pastor que está à frente da igreja, ele que se arrume. Se a igreja vai bem ou vai mal, o problema é dele. Não sou o pastor da igreja.

Não foi assim com Davi. Ele não perdeu o interesse nem abandonou o seu sonho, quando soube que outro, e não ele, iria construir o templo. Se tivesse perdido o interesse, Davi demonstraria que desejava edificar o templo para sua própria glória.

Se você não gosta de ajudar o presidente da sua União; se, como diácono, não gosta de ajudar o pastor; se você não quer cooperar com o tesoureiro ou com a secretária da igreja ou outro qualquer líder, é porque está procurando trabalhar na igreja para a sua própria glória. Não para aa glória de Deus. Mas, e Davi ? O que fez ele ?

Davi desejava realmente construir um templo para a glória de Deus. Por isso, mesmo sabendo que ele próprio não realizaria o seu sonho, mesmo sabendo que outra pessoa é que iria construir o seu sonhado templo, mesmo antevendo que o templo não viria a chamar-se o Templo de Davi - na verdade, ele foi, mais tarde, chamado o Templo de Salomão -, mesmo assim Davi fez tudo o que estava ao seu alcance fazer para aquela construção. Reuniu pedras, ferro, madeira e ouro. Fez tudo como se fosse ele o responsável pela futura obra. Por isso, quando Deus olhou seu coração viu o majestoso templo e disse: "bem fizeste em o propor no seu coração".

Amados irmãos, eu lhes pergunto: por que a viúva pobre é chamada a multimilionária do Novo Testamento ? A esta altura da mensagem, certamente já sabem o porquê. Ela é chamada a multimilionária do Novo Testamento pela oferta que deu, pelo que tinha nas mãos ? Um quadrante (dois leptos), moeda de valor insignificante.

Se hoje surgisse aqui uma viúva pobre com apenas um centavo na mão, que atitude teria a igreja para com essa oferta ? Ninguém se abaixa hoje para pegar moeda no chão...

Então, porque a viúva pobre é chamada de multimilionária ? Não pelo que ela tinha na mão, mas pelo que tinha no coração. A viúva tinha mãos vazias mas um coração cheio. E há muita gente por aí que tem mãos cheias e o coração vazio.

A escolher entre aquele que tem coração vazio e mãos cheias e aquele que tem mãos vazias e coração cheio, eu fico com aquele semelhante à viúva pobre. Se ela tivesse nas mãos todo o dinheiro do mundo, ela teria dado a Deus naquela hora. Foi por isso que Jesus afirmou que ela dera mais quem todos os ricos que ofertavam do que lhes sobrava no bolso.

Vocês conhecem a parábola do bom samaritano, certamente. Um homem foi atacado por salteadores e ficou jogado na estrada, sangrando. Passaram por ele, sem nada fazer, um sacerdote e um levita. É possível que o sacerdote, quando chegou em casa, tenha dito: Vi um homem sangrando na estrada. Mas, sabem como é, eu não sou médico, nem cirurgião, nem mesmo um enfermeiro. Não entendo nada de medicina. Eu não pude fazer nada." O levita talvez se desculpou dizendo a si mesmo que não tinha uma ambulância, que não tinha recursos para ajudar o homem na estrada.

Mas, depois do sacerdote e do levita, passou ali um samaritano. Ele também não era médico nem enfermeiro. Ele também não dispunha de recursos especiais. Mas o samaritano passou e ajudou. Fez ali na estrada o que estava ao seu alcance fazer e depois transportou o homem para um lugar onde podia ser atendido mais eficientemente. Por que ? Porque o samaritano tinha o coração cheio de compaixão.

Meu irmão, talvez você não possua grandes habilidades e não disponha de fartos recursos, mas se tiver compaixão e amor no coração, é isso que vai contar para o teste de Deus. É assim que Deus mede as pessoas: "Porquanto propuseste no teu coração... bem o fizeste..."

Uma última observação: o fato de sermos julgados pelo que está em nosso coração e não em nossas mãos nos dá a todos um grande consolo. Primeiro, porque coloca todos em absoluta igualdade de condições diante de Deus. Isto é maravilhoso. Todo mundo é igual dentro da Igreja. Não há maior nem menor. Nem grande ou pequeno. Nem rico ou pobre. Todos iguais !

Há irmãos com cinco talentos procurando granjear mais cinco e ficar com dez talentos. Mas há os que têm dois talentos e podem granjear outros dois. E ainda outros com um talento para com ele trabalhar. Mas no seu julgamento, Deus igualiza a todos. Todos têm um coração, não têm ?

Aliás, eu ando um pouco preocupado porque os cientistas estão fazendo coraçães de plástico. Coração de plástico é artificial, insensível... Parece-me que há pessoas com coração de plástico. Não têm compaixão. Não choram. As mensagens não os alcançam. Não têm prazer nos hinos. Não se compadecem dos sofrimentos alheios. Não se preocupam com as almas perdidas.

Pelo fato de julgar pelo coração, Deus julga pobres e ricos, humildes e importantes, cultos e indoutos, a todos, todos no mesmo pé de igualdade.

O que você tem proposto para Deus no seu coração ? O que você deseja fazer pela igreja ? Por Missões Nacionais ? Por Missões Mundiais ? O que você faria, se pudesse ? É o espírito, o propósito, é isto que conta.

Constantemente tenho reuniões com o staff da igreja, com meus auxiliares. Ouço-os, um por um, apresentar seus relatórios e seus problemas. Fazemos acertos e traçamos planos de trabalho. Costumo dizer que eu, como pastor, também não sou infalével. Ninguém o é. Mas se eu cometer um erro, podem estar certos de que foi por ignorância, foi erro da parte do meu intelecto, da minha mente, nunca do meu coração. Sempre que pastoreio uma igreja, sempre que Deus me dá uma obra para fazer, quero fazê-la com o coração.

Acaso você, amigo, estava realizando uma obra e fracassou ? Não conseguiu realizar seu ideal ? Sente que sua vida é um fracasso ? Lembre-se de como Deus vê, de como julga.

Havia em certa cidade uma viúva, chefe de família, que estava doente, sobre uma cama, há seis meses. Essa viúva tinha uma filha, uma esperta garotinha.

Certo dia a doente exclamou: Que vontade de comer um bolo!

- Por que você não compra, mamãe ? a garotinha perguntou.

- Filhinha, a mamãe não tem dinheiro. O último dinheiro que eu tinha, o doutor usou para aviar a receita.

Acontece que o médico que estava tratando daquela senhora, vendo a pobreza da família, havia presenteado a menina com uma boneca de louça. A boneca era a alegria daquela criança. Ela nunca tivera antes um brinquedo como aquele.

Mas, ao ouvir o desejo da mãe, a garota foi até à boneca e disse: "Minha bonequinha querida, eu gosto muito de você. Mas vou vender você."

A menina beijou a boneca e saiu procurando a quem vendê-la. Na rua, assustada com um carro que passava, a garota tropeçou e caiu em cima da boneca. Esta se fez em pedaços.

Chorando, a criança voltou para casa com os pedaços na mão. A mãe perguntou-lhe porque ela chorava. A menina explicou que ia vender a boneca para comprar o bolo para a mãe.

Ao ouvir isto, aquela mãe, comovida, acalmou a filha, dizendo:

- Não chore, filhinha. O que você quis fazer pela mamãe é melhor que qualquer doce do mundo.

Às vezes, quebram-se nossos sonhos. Não logramos realizá-los. Despedaçam-se nossos idéia. Mas o que está em nosso coração, isto é o que importa para Jesus, nosso amado Senhor.

O sucesso no fracasso. "Porquanto propuseste no teu coração o edificar casa ao meu nome, bem fizeste em propor no teu coração."

O que você propôs em seu coração ? Qual é a sua grande aspiração ? De minha parte, o propósito que coloquei no meu coração foi o de ver todo o Brasil ajoelhado aos pés de Jesus. E você ? Dê evidência do que está dentro do seu coração ! Por que está fazendo tão pouco para Jesus ? Sei que você prometeu servi-lo, mas tem cumprido sua promessa ?

Venha, venha a Jesus e coloque em seu coração o propósito de segui-lo e de servi-lo por todos os dias de sua vida.

Que seja para honra e glória de Deus.

Pr Nilson do Amaral Fanini

Fonte: Diário Gospel.Com.Br



Arquivado em | .





Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):