| em 10 outubro 2009

O Poder do Louvor

Por Filadélfia

Primeiramente o louvor nada mais é que uma forma de gratidão à Deus, fluindo de um coração agradecido. Deus nos convida para termos prazer e alegria em sua companhia.

A bíblia nos mostra que o louvor prestado a Deus não é um ato isolado do restante da vida cristã, ou algo a ser feito somente quando participamos de um culto coletivo ao Senhor. Deus deseja que seus filhos o louvem individualmente.

O louvor revela aquilo em que realmente cremos redireciona nossos pensamentos e sentimentos, é a rota que nos conduz a uma comunhão mais profunda com Deus estabelecendo o seu Reino em nossa vida.

O louvor pode manifestar-se de várias formas: (pode ser alto; expresso por movimentos corporal; por cânticos; instrumentos musicais; com lágrimas e com risos)


Mas, porque louvamos a Deus?

Por sua soberania; pela orientação que Ele nos dá por meio da Bíblia; pela sua fidelidade; porque Ele supre nossas necessidades; pela bondade, misericórdia e amor para conosco.

Além de todos e estes motivos Ele transforma nossa atitude, nos liberta, revitaliza a nossa disposição, transforma nosso relacionamento, muda nossa percepção e sensibilidade espiritual, transforma nossos desejos e nos renova a cada dia.



O Louvor Produz Generosidade
(A contribuição e o louvor estão associados)


Porque sermos fiéis nos dízimos e nas ofertas? “Honra ao Senhor com a tua fazenda, e com as primícias de toda a tua renda; e se encherão os teus celeiros abundantemente, e transbordarão de mosto os teus lagares”. (Pv 3. 9,10)

O ato de contribuir é uma forma de reconhecer que Deus é o dono de tudo, amplia nosso ministério e influência.

Havia uma mulher que morava numa mansão, possuía um carro Rolls-Royce e tinha vários empregados: um cozinheiro, um jardineiro, uma governanta, uma secretária e um motorista particular. Um dia ela morreu.

Chegando ao céu, um anjo a encaminhou a um casebre. Vendo a habitação, ela disse:

Você não acha que eu vou morar nesse barraco, não é?

O anjo respondeu: bem, no céu só podemos construir conforme o investimento que a pessoa fez durante a vida na terra. E o seu investimento foi bem pequeno...

Ela ficou indignada. Sei... e qual vai ser o meu carro?

O anjo então lhe mostrou um automóvel velho, mal conservado e muito enferrujado.

Vou ter de dirigir aquilo? Exclamou ela. Mas eu estou acostumada a andar de Rolls-Royce!

O anjo apenas sorriu e se afastou.

No dia seguinte, a mulher viu o seu ex-jardineiro passar dirigindo um Mercedes, foi falar com o anjo.

Como é que pode o meu jardineiro ter um carro muito melhor que o meu?

O anjo explicou. É que, proporcionalmente, o investimento dele na terra foi maior que o seu.

E no dia seguinte ela encontrou a empregada com um carro melhor do que o do jardineiro. E assim sempre que encontrava o anjo, reclamava.

Um dia, porém, o anjo a viu cantando, toda feliz, e perguntou: O que aconteceu que a deixou tão feliz?

Ela respondeu? É que acabei de ver o meu antigo pastor passando, e ele estava de patins!

Contribuindo, sentimo-nos estimulados a louvar; louvando, sentimo-nos estimulados a contribuir. Agindo assim nosso ministério cresce e estaremos abençoando muitas vidas!

“Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma benção tal, que dela vos advenha a maior abastança”. (Ml 3. 10)


Conclusão

O louvor quando praticado de acordo com os ensinos bíblicos liberta-nos das preocupações da vida diária; leva-nos à presença de Deus; cria as convicções necessárias para que o poder de deus atue em nossa vida.

Quando louvamos o Senhor, sua presença junto a nós torna-se mais real e seu poder se manifesta mais profundamente, fortalecendo-nos e aumentando nossa comunhão com Ele.


YOUSSEF, Michael – Fortalecidos pelo Louvor 2002 – Ed Betânia 2005.



Arquivado em | , .





Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):