| em 07 julho 2009

Minha Obsessão com o Trabalho

Minha esposa considerava minha obsessão um problema. Reclamar não adiantou; então ela encontrou outro jeito de chamar minha atenção.
Logo que nos casamos, Norma fez uma descoberta bem desagradável: eu também era casado com a minha profissão. Passava muito tempo no escritório, inclusive à noite e nos fins de semana. Norma ficava sozinha tempo demais na luta com nossos três filhos, cuja energia parecia inesgotável.

Mesmo quando eu estava em casa, ficava pensando no trabalho e assim sobrava pouco tempo para nosso casamento. Com toda razão, Norma me questionava. Dizia que não podia contar comigo nem para cuidar dela nem para ajudar com as crianças. Mas, para mim, não passava de reclamação infundada, que eu ignorava – como fazem muitos homens!

Por isso, imagine qual não foi minha surpresa quando um dia cheguei em casa e notei uma atmosfera calma. Norma exibia uma expressão de paz, não a tensão de sempre. Em vez das esperadas reclamações, conversou tranqüilamente, demonstrando interesse no que tinha acontecido durante o meu dia.

Alguns dias se passaram e nossa casa continuava em paz. Perguntei a ela o que tinha acontecido.
“Cansei de brigar com você”, explicou ela. “Percebi que não estava acreditando que Deus ia cuidar de nosso casamento. Então, resolvi parar de reclamar e comecei a orar. Disse a Deus que gostaria que você passasse mais tempo em casa e me ajudasse a cuidar das crianças. Como ele conhece todas as minhas necessidades, sei que vai fazer todas as mudanças que julgar necessárias”.
Fui convencido na mesma hora. As palavras tranqüilas dela me fizeram olhar para dentro de mim e notar que minhas prioridades estavam erradas.

Um poder maior – Norma percebeu que não conseguiria mudar a situação. Precisava da ajuda de Deus. Então, em vez de reclamar comigo, começou a orar. A mudança imediata na atitude dela me fascinou, e pedi que ela me dissesse como tinha sido exatamente a oração.

Ela contou: “Eu orei: ‘Senhor, sabes que quero ter um bom relacionamento com Gary, e que ele passe mais tempo em casa. Sabes também que não sou fisicamente forte. Estou muito cansada e acho que não vou conseguir sustentar muito tempo mais esse ritmo em que tenho vivido. Estou te pedindo essas coisas porque tu podes resolver tudo. E também podes tirar de mim a vontade de ter Gary em casa. Vou parar de brigar com ele e em vez disso peço que o transformes ou então atenda minhas necessidades de outra forma’”.

Norma deixou de buscar vida em mim e passou a buscar em Deus. Entendeu que eu não só não iria, mas também não podia lhe dar energia, então foi buscar a Fonte da vida.
Alguns podem pensar que Norma apenas disfarçou seu egoísmo quando pediu a Deus para me transformar e deixou de reclamar comigo. Discordo disso. Outros podem achar que eu estava errado – era quem precisava realmente de transformação. Concordo com isso. Mas Norma, por mais elevados que seus desejos fossem, não tinha capacidade para operar mudança em mim. Só Deus poderia fazer isso.

Aconselho as esposas a pedirem a Deus um bom relacionamento com o marido e vice-versa. Esse pedido não é egoísmo. O bom relacionamento não beneficia apenas quem ora, mas sim toda a família, a comunidade cristã e, por fim, a nação e o mundo. Além disso, glorifica ao Senhor, porque um casamento segundo a vontade de Deus é a imagem de nosso relacionamento com Jesus Cristo.
Quando temos o costume de buscar satisfação no mundo, não aprendemos a olhar para Deus como fonte da vida de um dia para outro. Eu e Norma levamos vários anos para olhar para o Senhor como reação natural. E de vez em quando, ainda nos pegamos recorrendo a alguém ou alguma coisa que não seja Deus.

Mas, quando buscamos de verdade nos ligar a Deus individualmente, liberamos em nosso casamento e nossa vida uma força poderosa. Norma me contou como se sentiu feliz ao parar de reclamar e começar a orar pedindo transformação. “Tenho mais energia”, disse ela, “e aproveito mais o tempo que passamos juntos. Isso nunca teria acontecido se eu tivesse continuado a tentar mudar a situação sozinha”.

Gary Smalley, Ph.D, fundou e dirige o Smalley Relationship Center (Centro de Relacionamentos Smalley – www.smalleyonline.com). Escreveu livros como: Entenda melhor seu temperamento (Mundo Cristão), Ela precisa saber (Mundo Cristão), A dádiva da bênção na família (United Press) e Decidindo amar (United Press), entre outras obras.
Fonte: www.padom.com



Arquivado em | , , , .





Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):