| em 07 julho 2009

Omissão Masculina

Os homens estão, na sua maioria, omissos em seus casamentos e no cuidado espiritual de seus filhos

Ao longo da história cristã, Deus tem levantado homens e mulheres para liderarem movimentos e ministérios de grande relevância na Sua obra. No Brasil, um desses ministérios tem sido o “Desperta Débora”. Um ministério que visa despertar as mulheres a orarem pelos filhos, seus ou de outras pessoas.
O “Desperta Débora” tem atingido a todo o Brasil e tem levado milhares de mulheres a se comprometerem neste sentido. Um verdadeiro ministério que tem a nossa aprovação e apoio. Desperta Débora é um ministério que procura ajudar as famílias para que os filhos sejam tementes a Deus.

Se, por um lado, nos alegra o ministério e o êxito do “Desperta Débora”, muito nos preocupa a omissão dos homens em vários aspectos, principalmente no âmbito da família.

Observando alguns comportamentos masculinos, podemos fazer a afirmação acima. Por exemplo, quando viajamos para ministrar às igrejas, temos disponibilizado livros para edificação das famílias. Em cada dez livros destinados ao fortalecimento do casamento e da família, oito são adquiridos por mulheres que querem melhorar o relacionamento conjugal e familiar.

Na área de livros escritos para ajudarem os pais na educação dos filhos, quase cem por cento são comprados por mães. Outro dado: conversando com psicólogos e conselheiros matrimoniais, a percepção também é a mesma. Na procura de ajuda, numa crise conjugal e familiar, a iniciativa quase sempre é da esposa e mãe. As mães, na maioria das vezes, são aquelas que se preocupam em transmitir um legado espiritual aos filhos. Numa atividade que visa fortalecer o casamento e a família, seja um seminário para casais ou um congresso, muitos homens participam quase amarrados ou são empurrados literalmente por suas esposas.

Em nossa caminhada pelas igrejas, eu e minha esposa temos ouvido relatos de mulheres que não recebem carinho de seus maridos. Temos ouvido história de egoísmo e brutalidade na área do relacionamento sexual. Temos ouvido mães preocupadas com a distância paterna.

Devemos apoiar integralmente ministérios como o “Desperta Débora”, mas não podemos deixar de chamar os homens, maridos, pais e avôs, a desempenharem o papel que lhes cabe na construção de famílias que sejam concretização do ideal de Deus.

Precisamos exortar os maridos a amarem suas esposas como Cristo tem amado a Igreja. Precisamos exortar os pais a serem mais presentes na vida de seus filhos, como Deus tem sido para com seus filhos. Deus irá cobrar dos homens esta responsabilidade! Isto só será possível quando os próprios pastores, presbíteros, diáconos e líderes começarem em suas próprias casas. O que esperar dos maridos e pais de nossas igrejas, quando não vêem, muitas vezes, estas qualidades na vida de seus próprios líderes?

Caminhando nesta direção, além do “Desperta Débora”, teremos o “Desperta Jó”, que levará os homens a orarem pelos filhos (Jó 1.5); o “Desperta Isaque”, exemplo de amor, de fidelidade e monogamia conjugal (Gn 24.67).

Que Deus levante homens para liderarem movimentos e ministérios neste sentido! Com certeza terão nosso apoio pessoal e do Ministério OIKOS.

Por: Gilson Bifano

Fonte: http://portal.padom.com



Arquivado em | .





Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):