| em 14 abril 2010

Busque a felicidade da relação

Respeito e muito diálogo podem ajudar

Quantas vezes vocês já começaram uma discussão sem motivos? Ou deixaram de se falar por uma bobagem? O segredo de manter o bom relacionamento está diretamente relacionado com os seus atos do dia a dia. Respeito, confiança, amor e fé em Deus são fundamentais. A busca da felicidade depende de você. Não se irrite por coisas pequenas que podem ir desgastando a relação com o tempo. Num casamento cristão, a submissão da mulher ao seu marido também é importante.

De acordo com o bispo Edir Macedo no livro "O Perfil da Mulher de Deus", essa relação revela um amor que vem de Deus ao seu companheiro. "(...) o grande valor da mulher de Deus: ela se submete ao seu marido movida pelo Espírito do amor que há dentro dela, pois este amor não é seu, mas vem de Deus, para ser transferido aos demais, especialmente ao seu marido, que é parte do seu corpo", diz o bispo. Veja algumas sugestões para manter o equilíbrio e ser feliz no casamento.

Não se esqueçam dos amigos

Não é porque vocês se casaram que vão se afastar dos amigos. Cultive a amizade fazendo programas como jantares, passeios, teatro. Nada como rir na companhia do companheiro (a) e dos amigos. Claro que preservando sempre a intimidade do casal, buscando momentos a sós.

Lembre-se de sorrir

Especialistas do American Association for Therapeutic Humor dizem que os benefícios psicológicos do humor são surpreendentes. Ele pode trazer equilíbrio a todos os componentes do sistema imunológico, ajudando no combate a doenças. De acordo com o bispo Edir Macedo no livro "Orações e Mensagens", muitas vezes o companheiro está a espera de um sorriso. "Se você anda aborrecido, lembre-se daquele que espera um sorriso seu", diz o bispo.

Fonte: Terapia do Amor



Arquivado em | , .





Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):