| em 27 abril 2010

Olhar não tira pedaço, ou tira?

Muitos cristãos se perguntam se o fato de paquerar alguém é pecado. Ora, foi Deus quem criou a mulher para o homem, e nessa conquista é mais do que natural que haja um cortejo. Uma troca de olhares, um sorriso ou um gesto de simpatia, nada tem a ver com vulgaridade ou pecado.

O que uma pessoa de Deus, porém, não pode esquecer é que antes da "paquera" é preciso saber, e muito bem, quem é o pretendente. Se houver uma mínima possibilidade de o pretendente ser comprometido, cuidado! Nesse caso, a ingenuidade passa a tomar, sim, forma de pecado e maldição.

O ideal é investigar primeiro a situação da pessoa para depois jogar um olhar "43". O amor é um sentimento puro e muito lindo quando cultivado de maneira correta e verdadeira. É impossível ser feliz com a infelicidade de alguém. Cabe aí o bom senso e o desejo de cumprir a Palavra de Deus. Se alguém comprometido lhe paquera, esteja certo que fará o mesmo com você se um dia estiver ao seu lado.

Após ter verificado que a pessoa é descomprometida, de boa índole e que, de fato, nasceu de novo para o Reino de Deus, por que não olhar? Afinal, olhar não tira pedaços!

Tanto o homem quanto a mulher se sentem atraídos um pelo outro, e o olhar pode ser uma resposta muito bonita para ambos. Quando olhares e sorrisos são trocados, um clima de expectativa e surpresa paira no ar.

A paquera é isso. Um comportamento que caracteriza a iniciação de um interesse. É a descoberta de um sentimento que impulsiona decisões. A paquera saudável é aquela em que tudo acontece naturalmente. Muitas vezes, conversando em um grupo de amigos, de repente, acende uma luz verde. Alguém interessante aparece! Nessa hora, sem perceber, você começa a dar uma atenção especial a alguém. A hora voa e você fica pedindo a Deus que aquele momento seja eterno. Papo vai, papo vem... e como você já estava mesmo em propósito esperando no Senhor, o momento se torna PERFEITO.

Essa é a hora de conversar, conhecer melhor o outro, encontrar afinidades, descobrir seus sonhos e alvos. Mas, lembre-se, tudo com muita elegância, descrição e de uma maneira pura e sem malícia. Trata-se da descoberta de uma nova amizade. É dessa maneira que você saberá, com o tempo, se vale ou não à pena investir em tal pessoa.

A paquera é a preparação para o início de um namoro, ou não. Este primeiro momento é decisivo para, pelo menos, amadurecer a idéia.

Não se pode esquecer, também, sobre o alerta de Deus para o coração do homem: Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá? Eu, o Senhor, esquadrinho o coração e provo os pensamentos; e isto para dar a um segundo o seu proceder, segundo o fruto de suas ações. (Jr 17:9-10)

Nunca se parte para uma paquera sem ter um objetivo. Paquerar alguém por diversão, apenas como parte de um joguinho, pode despertar expectativas no outro, gerando mal-estar. Isso não agrada a Deus porque Ele conhece as intenções de cada coração: Como louco que lança fogo, flecha e morte. Assim é o homem que engana o seu próximo e diz: Fiz isso por brincadeira. (Pv 26:18-19)

Por Nilbe Shlishia

Fonte: Agência Unipress Internacional



Arquivado em | , .





Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):