| em 03 maio 2010

Amamente seu filho mesmo longe de casa


Com dedicação e tecnologia, o aleitamento materno pode ter continuidade mesmo após o fim da licença-maternidade. A dica é: prepare-se com antecedência

Tudo que é bom acaba logo! Fim do afastamento ao trabalho e começo de algumas preocupações. E agora como amamentar meu bebê?

Diferente do que algumas mamães imaginam, é possível sim conciliar trabalho com aleitamento materno, através da ordenha e armazenamento caseiro do leite.

Na volta ao trabalho o coração das mamães fica dividido e, mesmo longe, é inevitável que a mulher saiba quando seu pequeno está faminto. Por mais que esteja entretida profissionalmente, os horários das mamadas não serão esquecidos.

Os seios produzem mais leite, e por isso há o vazamento e até ?empedramento? do nutritivo leitinho. Automaticamente, o pensamento da mãe é todo transferido ao bebê, que provavelmente está chorando desesperadamente de fome.

A dica é: programe-se. A nutricionista, coordenadora do posto de coleta de leite humano da Maternidade Pro Matre Paulista e banco de leite humano do Hospital e Maternidade Santa Joana, Maria Mercedes Sakagawa, sugere que 15 dias antes do início das atividades a ordenha e armazenamento de leite sejam praticados. Recomendada por ser menos agressiva, a ordenha manual é uma das opções para a nutriz. Porém, há outras alternativas com a ajuda de aparelhos específicos: a ordenha mecânica ou elétrica que atualmente podem ser alugadas pelas mamães. Independente da escolha, as regras de higiene são únicas.

"Além dos hábitos diários, retire as pulseiras, anéis e relógio, prenda os cabelos com touca ou lenço, coloque máscara descartável ou fralda sobre o nariz e a boca e lave as mãos até o cotovelo com água e sabão. Para finalizar, enxague bem e seque com toalha limpa ou papel toalha descartável", aconselha Mercedes. A retirada do leite deve ser feita em local limpo, reservado e longe de animais domésticos. "Despreze sempre os primeiros jatos", ensina a nutricionista.

Todo o material utilizado deve ser lavado com detergente e água corrente e fervido por 15 minutos em fogo brando. A secagem deve ser natural, sem o auxílio de panos. No caso de utilização da bomba os procedimentos são os mesmos. O próximo passo, que causa muita dúvida nas mamães, é como armazenar o leite materno.

Segundo a especialista, o leite deve ser guardado em frasco de vidro com tampa plástica, ou também no frasco da mamadeira (vidro ou plástico), neste caso utilize os acessórios (arruela e tampinha) da mamadeira sem o bico. "Identifique o frasco com data e horário da coleta. A validade na geladeira para consumo é de 12 horas, e, no freezer ou congelador, de 15 dias. Deixe sempre três centímetros antes de atingir a boca do frasco, pois o leite materno congelado aumenta de volume", explica.

Para garantir que o alimento esteja em perfeitas condições para o consumo a nutricionista recomenda: "Depois de sofrer alteração de temperatura, o leite materno não pode ser utilizado novamente, devido à perda do valor nutricional pelo aumento de microrganismos do próprio leite que leva a fermentação e causa transtornos gastrintestinais no bebê. A regra é retirar da geladeira amornar e servir."

Passear com o leitinho do trabalho para casa, algumas vezes torna-se necessário. Pensando nisso, a especialista dá algumas dicas de transporte.

"Utilize recipiente térmico com bolsa de gelo reciclável. O uso deverá ser exclusivo para o leite materno. Não utilize caixa térmica de isopor por ser de superfície porosa e de difícil higienização."


Hora de mamar

Pode acontecer de nas primeiras vezes a criança estranhar o modo que está recebendo seu leitinho. Por isso é necessária a adaptação antes da volta oficial da mamãe ao trabalho.

O preparo precisa de muito carinho e cuidados especiais. Deixe de lado o micro-ondas e as leiteiras. Descongele-o em banho-maria.

"Coloque o frasco de leite em um recipiente com água fervida, durante o descongelamento e agite o frasco para homogeneizar o líquido. Em poucos minutos, o conteúdo estará diluído e gelado", recomenda a nutricionista.

O papai, a vovó, a titia, enfim, a pessoa que ficará com o bebê precisa ser paciente. Caso o pequeno não aceite o leite na primeira vez, espere alguns minutos, acalme-o e tente novamente. "Para as crianças acostumadas com o seio materno recomendamos a oferta em copinho, desde que o cuidador tenha conhecimento da técnica", diz Mercedes.

Para tranqüilizar os corações sofridos com a separação, a boa notícia dada pela nutricionista é que em regras gerais a amamentação no peito não será prejudicada pela amamentação a distância.


A nutricionista ensina como fazer a ordenha manual

Massageie as mamas utilizando os dedos (indicador e médio) fazendo movimentos circulares no sentido da aréola na mama inteira. Os movimentos devem ser feitos na base da aréola em direção ao mamilo, alterando a posição.

Após a massagem, limpar com algodão umedecido em água fervida a região areolar e mamilo (utilizar um algodão para cada mama). Em seguida desprezar os primeiros jatos, utilizando novamente um algodão umedecido para cada mama. Esse cuidado é para deixar o canal de saída do leite isento de resíduos da retirada anterior.

Fonte: Sempre Materna



Arquivado em | , , .





Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):