| em 03 maio 2010

Mas não fui eu... foi ele!

Os pais podem ajudar os irmãos a se darem bem

"Como é bom e agradável quando os irmãos convivem em união!" (Salmo 133.1). Creio que muitos de nós poderíamos parafrasear este versículo, dizendo: "como seria bom se os irmãos vivessem em união!" Nós, pais, conhecemos bem o estresse ocasionado por brigas, desentendimentos e relacionamentos quebrados entre nossos filhos. O clima de disputa, briga, inveja é destrutivo em qualquer família. Todos ficam estressados, tanto os irmãos quanto os pais.

Não sou "expert" neste assunto, no entanto, tenho aprendido algumas coisas nesta jornada ? através dos meus erros e dos erros de outras pessoas. Gostaria, então, de compartilhá-las com você:


1. Não devemos mostrar favoritismo

Você se lembra do que aconteceu na casa de Jacó? Por causa de tratamento especial que dava a José, os outros filhos se tornaram amargurados. Não somente os irmãos sofreram, mas o próprio José teve de passar por rejeição e discriminação. O favoritismo de Jacó fez com que fosse separado de seu filho amado.

Cada filho precisa saber, sem sombra de dúvida, que é especial e querido. É importante gastar tempo com cada um separadamente ? tempo para comunicar, para mostrar que nos preocupamos com ele.


2. Não devemos fazer comparações

- Por que você não é como seu irmão?

- Nunca tive problemas para fazer sua irmã estudar!

- Você herdou essa moleza da família do seu pai!!!

- É tão mais fácil criar meninas do que meninos...

Cada criança é diferente, e é isso que as torna tão especiais. Precisamos reconhecer e valorizar essas diferenças.


3. Não devemos deixar pecados sem punição e tratamento

Davi não cuidou do pecado de seu filho Amnom, e a conseqüência dessa omissão ocasionou muita dor e sofrimento. Absalão decidiu tratar do assunto com as próprias mãos, o que resultou em desdobramentos drásticos para toda a família.

Devemos lidar com os desentendimentos familiares no momento em que eles acontecem. Até as crianças pequenas precisam aprender que não se deve bater nos irmãozinhos, não se deve dizer palavras rudes e que é importante repartir o que possuímos. Outra norma a ser seguida é que as atitudes inaceitáveis devem ser corrigidas.

Nossa casa é o laboratório onde praticamos as lições da vida. Se nossos filhos não aprenderem a viver em harmonia dentro de casa, eles não aprenderão a se dar bem na escola, nem a amar seus irmãos em Cristo na igreja, e nem como testemunhar para este mundo que tanto precisa de Jesus!

Lembro-me bem, de uma vez em que duas de nossas filhas estavam brigando. Estava muito difícil decidir quem era a culpada - provavelmente as duas! Então, Jaime as mandou para o quarto e disse:

- Não quero que vocês saiam daí enquanto não conversarem e acertarem essa situação! Elas ficaram no quarto por um bom tempo, mas saíram de lá rindo e abraçadas.

Uma coisa é certa: para se saber o que acontece em casa, é preciso estar em casa! Um dos maiores problemas do mundo em que vivemos, é que ele separa as famílias. Muitas vezes os pais deixam de disciplinar os filhos porque não sabem o que está acontecendo! É muito triste quando a injustiça passa despercebida.


4. Não devemos ignorar os ensinamentos da Palavra de Deus

A Palavra de Deus é cheia de princípios para uma vida harmoniosa. Sempre penso que devíamos ter uma lista com dicas de comunicação penduradas em todas as casas. Muitas delas se encontram no livro de Provérbios. Vejamos algumas que são básicas:

Dê respostas brandas - Provérbios 15.1
Pense antes de falar - Provérbios 10.19
Cure, não machuque - Provérbios 12.18; 16.24

Também vemos na Palavra, que o apóstolo Pedro devia ter algum problema de relacionamento. Quando perguntou a Jesus quantas vezes deveria perdoar seu irmão, ele já devia estar no final da sua paciência! Imagine só a sua decepção quando Jesus respondeu que não era suficiente perdoar 7 vezes, mas que deveria estar disposto a perdoar 70 X 7!

Nós, pais, ensinamos os princípios de Deus através de nossas vidas. Nossos filhos aprenderão a perdoar quando forem perdoados. Aprenderão a amar, quando forem amados. Aprenderão a falar com gentileza, quando ouvirem palavras gentis.

Todo irmão briga. Não há como evitar isso. Aprender a se relacionar, porém, pode diminuir as causas de conflito. É importante lembrar que onde houver menos mal-entendido, haverá menos motivo para se estressar.


5. Não devemos deixar de orar

Eu amo o ministério Desperta Débora, composto por mães que oram por seus filhos e, um dos itens dos motivos de oração é: "Oro pelo relacionamento entre irmãos, para que haja harmonia, camaradagem e respeito mútuo entre eles".

Amém!

Judith Kemp é missionária no Brasil e esposa do pastor Jaime Kemp. É enfermeira, articulista e autora de vários livros na área familiar e de relacionamentos. É mãe de Melinda, Marcia e Annie, e avó de James Paul e Skyler.

Fonte: Lar Cristão



Arquivado em | , , , .





Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):