| em 31 maio 2010

Quem não domina é dominado!

Ao criar o homem à sua imagem e semelhança, Deus deu a ele domínio, poder e autoridade sobre as aves dos céus, os peixes do mar e sobre os reptéis da terra (Gênesis capítulo 1, versículo 26). O homem, porém, não sabendo valorizar o que Deus lhe deu, entregou "de bandeja" ao diabo, por meio do pecado, este poder e domínio.

Aliás, as pessoas em geral não sabem valorizar o que têm ou o que são. Sendo assim, é muito comum ouvirmos frases como: "A mulher do fulano é um exemplo”, “Como eu queria que o meu marido fosse como o seu!”, “Um dia meu filho também vai ser assim!” ou “Se eu tivesse uma oportunidade como a que você teve...”. Isso representa complexo de inferioridade, e muitos, por não dominarem este sentimento, são dominados por ele.

Ao se olhar no espelho, a visão de muitos é de inconformismo, e o resultado disto é uma busca frenética por mudanças exteriores. Porém, não podemos nos esquecer de que não adianta tirar o porco da lama e lavá-lo, pois o interior dele é sujo e, na primeira oportunidade, ele vai voltar a revolver-se naquela sujeira.

O homem perdeu o domínio e, a partir de então, é dominado por vícios, medos, dúvidas, ódios, sentimentos facciosos, friezas, prostituições, pensamentos lascivos e muitas outras coisas impostas por sátanas. Do que o homem não soube valorizar o diabo tomou conta e, agora, oprime as pessoas e realiza a sua obra de roubo, morte e destruição (João capítulo 10, versículo 10) até - com tristeza digo - na vida dos filhos de Deus que ainda não assumiram a verdadeira obra realizada no Calvário por Cristo.

Da mesma forma que o diabo tentou jogar na cara de Jesus que tudo era dele (Mateus capítulo 4, versículo 8) e comprá-lO, assim ele tem feito com muitos, oferencedo aparente poder, felicidade e prazer. Jesus não perdeu tempo negociando com Satanás, mas muitos perdem. Ouvem-no e barganham com ele como se ele tivesse uma solução para dar.

Precisamo, com urgência, entender, valorizar e assumir o que Jesus fez no Calvário, pois com a Sua morte e ressurreição nos comprou para Deus e disse, em Mateus capítulo 28: “É me dado todo o poder no céu e na terra”. Se todo o poder, autoridade e domínio foi dado a Ele, então não restou nada para o diabo. Entretanto, como o Senhor não é egoísta, Ele nos transfere esse poder, esse domínio, essa autoridade através do Seu Nome. É como se Ele tivesse nos dado um cheque nominal em branco e assinado. Basta preencher o valor e sacar.

É isso mesmo! No capítulo 16 do Evangelho de Marcos lemos o relato de tudo aquilo que nEle - através do Nome dEle - podemos fazer: curar os enfermos, expulsar os demônios, pisar em serpentes e escorpiões e, até se bebermos alguma coisa mortífera, não nos fará dano algum.

Na cruz, o Senhor Jesus entregou novamente ao homem aquilo que Deus lhe concedeu desde o princípio: domínio. E a ordem que Ele nos dá está expressa no Salmo 110, versículo 2: “Domina no meio dos teus inimigos”.

Cabe a você, caro leitor, decidir se, a partir de hoje, você vai dominar ou ser dominado. O que posso lhe dizer é que vale à pena respeitar e ser o que Deus quer que sejamos: cabeça, e não cauda.

por Glauber Morare, pastor responsável pela Igreja Internacional da Graça de Deus nos EUA
Fonte: Ongrace.com



Arquivado em | .





Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):