| em 14 junho 2010

O verdadeiro sentido da Páscoa

Tipo: Esboços e estudos bíblicos

Ex 12:1-24

Como Surgiu e porque se comemora a Páscoa?

Egito, dia 14 do mês Abibe (Março/Abril) cerca de 1445 A.c. , do ano em que os filhos de Israel foram livres da Escravidão. Dia de regozijo e desespero para outros. Naquela noite, o anjo da morte visitaria o Egito e mataria a todos os primogênitos, desde os animais até o filho de Faraó.


Êxodo 12

12 Porque naquela noite passarei pela terra do Egito, e ferirei todos os primogênitos na terra do Egito, tanto dos homens como dos animais; e sobre todos os deuses do Egito executarei juízos; eu sou o Senhor.

13 Mas o sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; vendo eu o sangue, passarei por cima de vós, e não haverá entre vós praga para vos destruir, quando eu ferir a terra do Egito.:

Depois dos descendentes de Abraão, Isaque e Jacó, passarem mais de 400 anos na servidão do Egito.

Deus chamou a Moisés, e o designou para o “êxodo” Sig. Saída, tirada do povo do Egito, da escravidão.

Moisés foi a Faraó e transmitiu a ordem de Deus “Deixa o meu povo ir”.

Para Faraó compreender que era uma ordem de Deus ele invocou as pragas como julgamentos contra o Egito:

Vieram 10 Pragas do Egito:

1ª) Água em Sangue,

2ª) Rãs,

3ª) Piolhos,

4ª) Moscas,

5ª) Praga nos Animais,

6ª) Sarna que arrebentava em ulceras,

7ª) Saraiva,

8ª) Gafanhotos,

9ª) Trevas e

10ª) Morte dos Primogênitos.

Na 10ª praga vemos uma finalidade crucial, Deus decide matar todos os primogênitos do Egito, e a única forma de escapar seria uma atitude de Obediência a ordem que Deus determinara a Moisés.

Naquela tarde, as famílias dos israelitas deveriam reunir-se e cada uma deveria matar para si um cordeiro. Seu sangue deveria ser passado nos portais das casas. Dentro delas, as famílias comeriam a carne do animal juntamente com ervas amargas. A terrível noite chegou e, com ela, o anjo destruidor. Por onde ele passava, deixava as famílias em agonia pela perda de seus filhos. Só escaparam da tragédia aquelas casas em cujas portas havia o sangue protetor. Essa foi a primeira páscoa.

Daí o termo Páscoa, do hb. pesah, que significa “pular além da marca”, “passar por cima”, ou “poupar”). ou seja, o anjo passava por aqueles que estavam protegidos pelo sangue e não os destruía. (Êx 12).

Naquela mesma noite, os israelitas saíram do Egito. A partir desse dia, em todos os anos, na mesma data, os israelitas comemoram a páscoa, matando um cordeiro e comendo a sua carne. Essas comemorações seriam apenas símbolo da páscoa comemorada por Jesus com seus discípulos, momentos antes da sua morte. Todos os cordeiros mortos representavam o cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo (Jo 1.29) e que seria morto em uma páscoa. Paulo escreveu aos Coríntios: "Cristo é a nossa páscoa" (I Cor 5.7). Sua morte significou o nosso livramento, a nossa salvação. Ninguém poderá se salvar baseado em sua própria justiça ou bondade, mas é o sangue de Jesus, o cordeiro de Deus, que nos salva. Ele morreu para que não morramos espiritualmente, mas tenhamos a vida eterna.

Atualmente, muitas pessoas pelo mundo afora comemoram a páscoa. Essa comemoração está repleta de alterações em relação ao sentido original. Em lugar do cordeiro, fazem menção aos coelhos! Em lugar das ervas amargas, as pessoas comem chocolate! É sempre assim: procuramos algo mais fácil e mais agradável.

Não estamos proibidos de comer chocolate (ainda bem), mas não devemos ignorar o verdadeiro sentido da páscoa.

Ex 12.8 PÃES ASMOS; COM ERVAS AMARGOSAS. Para o simbolismo dos pães asmos, As ervas amargosas trariam à lembrança os tempos amargos da escravidão no Egito (Rm 6.21)

A FESTA DOS PÃES ASMOS. Os versículos 15-20 descrevem a Festa dos Pães Asmos, que Israel devia continuar a observar após entrar em Canaã. Essa festa representava a consagração do povo de Deus, tendo em vista a sua redenção do Egito. Nesse contexto, fermento ou levedura, um agente que causa fermentação, simboliza o pecado, e os pães asmos (sem fermento) simbolizam o arrependimento, o repúdio do pecado e a dedicação a Deus

Comemoramos a Páscoa todas as vezes que Ceiamos, estamos assim, a família do Senhor, comendo a carne do cordeiro e bebendo o seu sangue. Nesse momento, nos recordamos que éramos escravos no Egito = o mundo, e que Faraó = Satanás, nos mantinha sob o seu domínio. Mas, naquela tarde de páscoa, o Cordeiro de Deus, o primogênito de Deus, morreu em nosso lugar. Regozijemo-nos e alegremo-nos. O anjo da morte não nos alcançará, pois "Rm 8:1 nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus". Aleluia!

por Wyndson Alencar, Pastor Auxiliar Ass. de Deus em Goiânia-GO, Conferencista, Bacharel em Teologia pela FATEID e Pós-Graduado pela FATE-BH. Email: wyndson.alencar@gmail.com

Fonte: atosdois.com.br



Arquivado em | .





Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):