| em 20 junho 2010

Resistindo a tentação

Eu não pude evitar." "O diabo me levou a fazer isso." "A tentação foi grande demais." Você já ouviu ou usou desculpas como estas para justificar decisões erradas ou comportamentos impróprios?

Todos nós provavelmente já. Alguém que conheço gosta de dizer:"Posso resistir a tudo, menos à tentação". Embora saibamos o que devemos ou não fazer, freqüentemente optamos pelo oposto.

Uma palavra para descrever isso, um termo que muitos detestam é - pecado. E que pode ser definido como "errar o alvo": saber o que é certo e escolher o que é errado!

Uma das razões é que somos todos os dias bombardeados por tentações. Nos negócios, somos tentados a adotar atalhos ou usar meios enganosos para atingir metas, exagerar a qualidade ou o

valor de um produto, ou a capacidade de nossa empresa realizar os serviços que o cliente deseja. Alguns se rendem à tentação em sua busca por promoção. Relatórios de despesas representam uma tentação em si mesmos.

Em nossa vida pessoal somos confrontados por várias tentações: expressar ira de modo impróprio; abusar verbal ou fisicamente de outras pessoas; transigir nos votos matrimoniais por infidelidade ou pensamentos imorais; beber ou comer demais; trapacear em jogo amigável de cartas; esquecer algumas tacadas no jogo de golfe; violar o limite de velocidade por estarmos atrasados para uma reunião; e assim por diante.

Tentação em si não é problema. A Bíblia diz que até mesmo Jesus "como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado" (Hebreus 4.15). Ser tentado é ser apresentado à oportunidade de pecar. Pecar é agir de acordo com a tentação, é escolher conscientemente não resistir à oportunidade. Alguém disse: "Se o pecado não fosse divertido, nós não iríamos querer pecar!"

Um dos escritores do Novo Testamento, na Bíblia, admitiu que ele lutava com o pecado. "Porque tenho o desejo de fazer o que é bom, mas não consigo realizá-lo. Pois o que faço não é o bem que desejo, mas o mal que não quero fazer, esse eu continuo fazendo" (Romanos 7.18-19). Se líderes como Paulo lutaram com o certo e o errado, que esperança há para nós? Segundo a Bíblia há grande esperança:

Todos pecamos e isto faz parte de nosso DNA espiritual. A Bíblia diz que o gene do pecado tem sido passado por todas as gerações desde Adão. Não estamos sós nessa luta e fracassos ao lidar com a tentação. "Todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus" (Romanos 3.23).

Deus jamais nos tentará a fazer o que é errado. No modelo de oração de Jesus, Ele instou Seus seguidores a pedirem a Deus que os livrassem do pecado: "E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal" (Mateus 6.13). A Bíblia também afirma: "Quando alguém for tentando, jamais deverá dizer: ?Estou sendo tentado por Deus?. Pois Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta. Cada um, porém, é tentado pelo próprio mau desejo, sendo por este arrastado e seduzido" (Tiago 1.13-14).

Nossas tentações não são únicas e não precisamos nos submeter a elas. Podemos escolher fazer o que é errado, mas isso não é inevitável. As tentações podem ser fortes, quase irresistíveis, mas pela força de Deus podemos decidir não agir de acordo com elas. "Não sobreveio a vocês tentação que não fosse comum aos homens. E Deus é fiel; Ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar. Mas, quando forem tentados, Ele mesmo lhes providenciara um escape, para que o possam suportar" (I Coríntios 10.13).

Lembre-se: quando a tentação surgir, temos um escape!

Fonte: jesusevida.com



Arquivado em | , .





Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):