| em 03 julho 2010

A Maneira de Dizer as Coisas

Certa vez um sultão sonhou que havia perdido todos os dentes. Logo que despertou, mandou chamar um adivinho para que interpretasse o seu sonho:

- Que desgraça, senhor! Exclamou o adivinho. – Cada dente caído representa a perda de um parente de vossa majestade.

- Mas que insolente – Gritou o sultão, enfurecido. Como te atreves a dizer-me tal coisa? Fora daqui!

Chamou os seus guardas e lhe ordenou que lhe dessem cem açoites.

Mandou que trouxessem outro adivinho e lhe contou sobre o sonho. Este, após ouvir o sultão com atenção, disse-lhe:

- Excelso senhor! Grande felicidade vos está reservada. O sonho significa que haveis de sobreviver a todos os vossos parentes.

A fisionomia do sultão iluminou-se num sorriso, e ele mandou dar cem moedas de ouro ao segundo adivinho. E quando este saia do palácio, um dos guardas lhe disse admirado:

- Não é possível! A interpretação que você fez foi a mesma que o outro adivinho havia feito. Não entendo porque o primeiro ele pagou com cem açoites e a você com cem moedas de ouro.

E respondeu-lhe o homem:

- Por certo, meu amigo, que ambos dissemos a mesma coisa. Porém, a diferença está na maneira, na forma, como eu disse a interpretação do sonho para ele…Lembre-se, meu amigo, que tudo depende da maneira como dizemos as coisas para os outros…

(Autor Desconhecido)

Lembre-se que uma palavra, apenas uma, tem o poder de neutralizar ou explodir qualquer situação, e dependendo da forma como tudo é dito, as pessoas podem se ferir ou receber cada palavra de uma forma mais leve. Não torne as coisas mais difícieis do que já são. Seja mais doce com você e com os outros. Fomos comprados por Jesus para vivermos em união.

“A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira”. Provérbios 15:11

Fonte: Tresina Gospel



Arquivado em | .





Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):