| em 06 agosto 2010

Como educar aquela amiga sem noção?

Todo mundo tem ou já teve aquela amiga divertida, inteligente e até boa companhia na maioria das vezes, mas que ficou popular no grupo pelo jeitão grosseiro e pelas gafes que comete. No começo, a mania inconveniente que ela tem de, por exemplo, soltar um palavrão no meio de uma conversa séria pode até arrancar boas risadas da turma. Mas se as situações se repetem e só a presença dela já te deixa envergonhada, é hora de tomar uma atitude.

Ocorre que chamar a atenção de alguém pela falta de educação e bom senso nunca é uma tarefa agradável e costuma ser adiada. Ninguém sabe exatamente como agir nessa situação "saia justa", para que o recado seja dado à amiga sem noção, de forma que ela não se ofenda.

Quanto mais amigas vocês forem, aliás, pior. Por isso, para ajudá-la a ter coragem de melhorar a imagem da sua amiga, sem correr o risco de esfriar a relação, pedimos a opinião das consultoras de etiqueta Sofia Rossi e Ligia Marques. Listamos alguns perfis de mulheres inconvenientes e perguntamos às especialistas qual a melhor forma de impedi-las de provocar novos contrangimentos. Confira:


A amiga que aparece sem avisar ou ser convidada

Passa das 10 horas da noite, você está pronta para dormir, porque tem que levantar cedo no dia seguinte, e toca a campainha. Ou então você organiza uma reunião de amigos do colégio e sua amiga da faculdade resolve aparecer, mesmo sem ser convidada. O que fazer?

As consultoras são unânimes em dizer que você não é obrigada a receber uma visita inesperada. Mas sugerem que, especialmente no caso de uma festa, o ideal é deixar a visitante à vontade. Faça ela entrar e sirva uma bebida. Na hora em que sua amiga for embora, porém, seja sincera e diga que você prefere ser avisada da próxima vez. "É o seu direito solicitar que a pessoa tenha um pouco mais de bom senso e educação", explica Ligia.

Sofia acredita que, se precisar, pode falar sem rodeios e claramente que a amiga foi inconveniente. "Não invente desculpas para não cair em contradição depois", alerta. "Ela até pode não gostar do que vai ouvir, mas você não tem obrigação de receber ninguém quando não quer ou não está preparada para isso."


A colega de apartamento que é folgada

É muito difícil dividir as contas com alguém que não tem senso de responsabilidade ou, pior, que não sabe respeitar o espaço do outro. Por isso, antes de dividir o mesmo teto com alguém, procure saber quais são as suas manias e hábitos e, principalmente, e, juntos, estabeleçam regras.

Sofia enumera alguns itens a serem discutidos: "quem paga o quê, quem faz compras, quem cozinha, quem limpa a casa, se animais de estimação são permitidos ou não, em que volume escutar uma música, qual o tempo máximo no banho, qual o dia de receber a visita do namorado, entre outros. Tudo deve ser discutido e acertado antes".

Mas se mesmo assim ela desobedece as regras e não contribui com as compras ou as contas da casa ou deixa as roupas jogadas no chão, o melhor mesmo é dar uma bronca sincera. Ligia propõe que a amiga incomodada chame a colega para conversar e diga que isso é necessário para evitar que a convivência prejudique a amizade. De acordo com a especialista, as duas podem revelar as atitudes de uma e de outra que mais incomodam e chegar a um consenso.


Ela fala palavrão e arrota na mesa

Uma vez ou outra, dependendo do contexto, pode até passar. Mas, quando palavrões e arrotos fazem parte do comportamento natural da sua colega, é hora de terem uma conversa. Mostre-se incomodada com essas atitudes e, se precisar, diga que esse comportamento não é bem aceito por ninguém e que ela está prejudicando a própria imagem.

Ligia ressalta que muitas palavras que antes eram consideradas palavrão hoje "estão na boca de todos sem causar tanto horror". Contudo, o exagero deve ser evitado.

Mas atenção: se o arroto saiu sem querer, finja que não percebeu.

Ela gosta de falar da vida íntima sem pudores

Dividir algumas intimidades não faz mal a ninguém. É gostoso conversar com as amigas sobre o namorado, os paqueras, rir e chorar. Mas tudo tem limite, e alguns detalhes não interessam a ninguém - mesmo que tenha gente disposta a contar.

Ligia sugere, no meio das confidências sexuais de uma amiga mais empolgada, um aviso para mudarem de assunto, sempre em tom de brincadeira. Algo do tipo: "vamos pular os detalhes? Todos agradecem". Você dá o recado, sem parecer chata.


Amiga que te deixa sozinha na balada para paquerar

Você agenda uma noite para dançar, beber e rir com as amigas. No final, devido a imprevistos, acaba indo apenas você e mais uma amiga. Mas tudo bem, o importante é a companhia e a diversão. Só que dez minutos depois de entrarem na casa noturna, você olha para o lado e não acha mais a sua companheira, que está do outro lado da pista flertando com um rapaz. E agora?

Algumas pessoas não se importam com esse comportamento, mas, se você é uma das que acham a atitude absurda, a dica é tentar curtir a festa sozinha ou voltar para casa se não estiver à vontade. No dia seguinte, diga que não gostou de ser deixada de lado e que, provavelmente, nunca mais sairão só as duas.


Aquela que pega roupa emprestada sem pedir

É comum ter uma amiga que é do seu tamanho, coincidentemente tem o mesmo gosto que você para roupas e, adivinhe, foi convidada para uma festa ideal para estrear aquele casaco novo que você comprou. Emprestar roupa uma vez ou outra para uma amiga não é o problema. A "saia-justa" ocorre quando ela começa a pegar suas roupas sem pedir ou simplesmente não as devolve mais?

A ordem, então, é cobrar, educadamente. "Você já usou aquele vestido que te emprestei no mês passado? Será que poderia me devolver, porque eu gostaria de emprestá-lo a uma outra amiga?", sugere Ligia.

Para Sofia, é uma questão de respeito ao próximo e é preciso falar na hora. Lembrando sempre que, ao devolver algo emprestado, temos que devolver no estado em que pegamos. "Quebrou, rasgou, arranhou? Compre outro e peça desculpas a quem lhe emprestou", acrescenta.


A muy amiga que dá em cima do seu namorado

Pode ser algo que ela comentou com você, ou que ele te contou, ou algo que os outros estão fofocando ou, pior, algo que você mesma viu e ouviu. Não importa qual seja o caso, o importante é checar essa história e procurar saber o que exatamente ocorreu.

Sofia indica analisar a situação e ouvir o que o namorado e a amiga têm a dizer. Uma dica é conversar com ambos, mas separadamente. Se foi ela quem se insinuou, chame-a em um canto e diga que a situação não agradou. Aceite as suas desculpas, mas fique esperta.

A consultora Ligia acredita que não dá para pegar leve num caso como esse, mas recomenda manter a calma e a classe. "Afaste-se da garota o quanto antes e diga que esse tipo de investida a faz parecer bastante vulgar."


Sempre liga no pior horário

Pessoas com quem temos intimidade sentem-se à vontade para ligar dia ou noite, em qualquer horário. Tudo bem, até damos essa brecha para alguns amigos mais íntimos, mas nem todos são bem-vindos ao telefone em horários inconvenientes. "Antes das 9h da manhã e depois das 10h da noite é nosso horário de silêncio", diz Sofia.

Ligia oferece uma solução simples para o problema. "Diga que está um pouco ocupada e indique o melhor horário para ela te retornar." Sofia também dá alguns conselhos para você mesma não cometer esse tipo de gafe. "Pergunte se a pessoa pode te atender no momento. Se a pessoa confirmar que estava dormindo quando você ligou, não continue o papo: peça desculpas e ligue mais tarde."

Fonte: Terra mulher



Arquivado em | .





Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):