| em 28 janeiro 2011

Como lidar com problemas financeiros


“A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor”. (Rm 13.8)


A lição aborda um problema vivido por todas as pessoas, quer sejam crentes ou não.

Refere-se ao fato de que todos possuem bens materiais. Uns mais, outros menos.

No momento, aquele que souber administrar melhor aquilo que possui, conseguirá viver com mais tranqüilidade.

A maioria das pessoas não se controla, vivendo em uma sociedade consumista, que oferece muitas vantagens para se comprar ou se fazer dívidas.

São levadas pelas facilidades oferecida e logo estão enfrentando sérios problemas.


Causa dos problemas financeiros

Por que os problemas financeiros são os que mais afligem as pessoas? Será que a causa reside no fato de se viver em um país pobre? Ou os problemas financeiros existem do salário irrisório que a maioria ganha? Ou será que Deus deseja que os cristãos sejam pobres? Parece que não. Empresários e pessoas aparentemente bem-sucedidas também sofrem com as finanças. Apesar de muitos pensarem que o dinheiro nada tem a ver com a espiritualidade empobrecida pela visão que tem do dinheiro ou mau uso dele. Por que isso acontece? Por quais razões a maioria não conseguem viver se dívidas?


Cuidado com gastos demasiados

Ganhar dinheiro é uma necessidade, mas se não houver cuidado, o consumo devorará o salário. Não é pecado ter dinheiro, é benção, pois, por toda a vida, há palavras que nos encorajam a prosperar e enriquecer; mas amar o dinheiro, se apegar a ele isto sim Deus condena.

A Bíblia registra vários casos de homens que serviram a Deus e eram ricos e prósperos. Por exemplo: Abraão e Ló (Gn 13.5, 6).

Todavia, pode-se ganhar muito dinheiro e, mesmo assim, faltar no fim do mês. Não há nada errado em querer morar, comer, vestir e viver bem. O erro está em amar o dinheiro ou gastar mais do se ganha.

Paulo também advertiu que o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males (I Tm 6.10).


Vivendo a própria a vida

Existem pessoas que se deixam influenciar pela inveja e pela vaidade.

Querem mostrar uma aparência daquilo que não possuem.

Não se contentam com o que já conquistaram e, na maioria das vezes, querem viver como outras pessoas que ganham melhores salários ou que possuem um nível de vida mais elevado.

Passam, então, a gastar mais do que aquilo que ganham para manter uma aparência igual.

O resultado é que se endividam demais e não podem quitar seus débitos.

O certo é crer em Deus, que abençoa o trabalho daqueles que se esforçam para alcançarem um pouco mais de conforto, mas não invejar ou competir com alguém.

Deus cuida daquele que é fiel, não lhe deixando faltar o necessário (Mt 6.25, 26).


O que a Bíblia fala sobre dívidas?

A Bíblia é o livro inspirado por Deus para ensinar ao homem o caminho da salvação.

Mas a Bíblia também ensina a maneira correta para o homem viver, de acordo com a vontade de Deus.

Dessa forma, encontra-se ensino para todos os aspectos da vida. Até como lidar com as dívidas.


A dívida escraviza

Tanto o Velho Testamento como o Novo mostram que escravidão era a pena para quem não saldava suas dívidas.

É o caso da viúva, cujo marido contraiu uma dívida enorme antes de morrer (2 Rs 4.1-7).

Naquele tempo, a libertação com o pagamento da dívida.

Ainda que hoje não haja escravidão de fato, quem deve se torna escravo por causa da preocupação de estar nas mãos do credor.

Cristo já nos libertou. Deus não quer ver seus filhos escravizados ou oprimidos debaixo do jugo pesado das dívidas.


Questão dos juros

Existem pessoas que nunca se libertam das dívidas porque não conseguem pagá-las.

Tomam empréstimos ou fazem compras com juros altos, não param de pagá-los e nunca abatem a dívida.


A dívida causa tensões no lar

Além das eternas preocupações que as dívidas provocam, os gastos excessivos trazem sentimentos de insegurança, angustia, medo das despesas extras, clima intenso, irritabilidade, discussão e até desajuste sexual. Os membros da família passam a culpar uns aos outros ou reclamar.

É certo que na situação atual, quando os salários são menores do que aquilo que se necessita para a sobrevivência, é natural que se faça algum crédito. No entanto, a vigilância deve ser constante para que não haja desequilíbrio no orçamento da família (I Co 14.40).


Cuidando da estabilidade financeira

O sábio Salomão deixou excelentes conselhos acerca dois cuidados necessários para se ter uma vida equilibrada.

Ele defendia o fato de que o homem de ser diligente no seu trabalho.

Que o preguiçoso nem semeia nem colhe, porque está sempre dormindo. É um imprudente (Pv 10.5).

Ele diz também que todo trabalho é proveitoso (Pv 14.23).

Dependendo de Deus

Dependa de Deus para suprir as suas necessidades.

Quem qprende a depender de Deus não se desepera porque Ele suprirá todas as necessidades segundo as suas riquezas (Fp 4.19).


Aprendendo a economizar

É importante aprender a gastar menos do que se ganha, pois o único dinheiro que você tem é aquele que você economiza (Pv 21.20).

Quando se gasta sem critério, Deus não atende a esses pedidos (Tg 4.3)


• Planejando as despesas

Planeje (Lc 14.28). Foi o próprio Jesus que ensinou tal estratégia.

Antes de iniciar qualquer projeto, é importante planejar a fim de não passar vergonha por não poder cumprir com os compromissos assumidos

Defina quais são as suas reais prioridades financeiras.


Evitando competições

Em se tratando de finanças, é muito perigoso o problema da competição.

A competição nessa área sempre é gerada pela inveja ou pela cobiça.

A cobiça, a inveja e a vaidade são espírtios malignos que influenciam as pessoas a comprarem o que não podem, adquirirem o que os outros possuem, desejarem ser melhores do que os outros.

O apóstolo Tiago é muito enfático quando reprova tal atitude (Tg 4.2).


• Usando a liberdade

A vida financeira reflete o caráter cristão. Deus é glorificado ou vilipendiado pela maneira com que lidamos com o dinheiro.

Diz em Provérbios que a alma generosa prosperará (Pv 11.25).

O crente liberal sempre prosperará, porque Deus não lhe deixa faltar nada. São promessas divinas, por isso se cumprem (Sl 37.26).


Administrando os bens com sabedoria

Quem deseja administrar seus bens corretamente e viver livre das pressões financeiras não pode perguntar onde o dinheiro foi parar. Antes, deve ter, bem definido em sua mente, onde seu dinheiro foi gasto e como irá administrá-lo e gastá-lo. Muitas pessoas ímpias ficam ricas, porque sabem ganhar dinheiro e administram com sabedoria os seus bens. Enquanto muitos cristãos continuam pobres, porque não sabem ganhar e fazer sábio uso do dinheiro que ganham. Deus nos deu algumas diretrizes de como ganhar e gastar dinheiro. Ajustar-se a esses princípios é essencial para sair das dívidas.


Exercendo a mordomia

Esteja absolutamente convicto de que tudo quanto possui vem de Deus e pertence a Ele (Sl 24.1; Ag 2.8).

Nada pertence ao homem. Tudo o que ele usa ou possui pertence a Deus.

O homem é apenas um mordomo que tem a liberdade de usar o que pertence ao seu Senhor.


Conclusão

O verdadeiro cristão é feliz com aquilo que possui.

É claro que enquanto estiver nesta vida, ele trabalha, se esforça para possuir coisas, o que é muito natural. Porém, sem ganância, exageros ou invejas.



Arquivado em | , , , .





Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):