| em 05 abril 2011

Bebidas Energéticas: Turbinadas de Cafeína

Uma latinha de energético traz 30% mais cafeína do que um café expresso

Quando consumidas com moderação, as bebidas energéticas não fazem mal ao organismo. Mas algumas têm açúcar demais.

As “bebidas energéticas” são muito utilizadas por jovens e esportistas para melhorar o rendimento físico, aumentar a atenção e concentração ou dar mais disposição em uma longa noite. Testamos essas bebidas e constamos que, em geral, os produtos são bons e, sozinhos, não apresentam riscos à saúde. Porém alguns têm açúcar demais. Além disso, dependendo de quanto você consome desse tipo de bebida ou do que mais consome durante o dia, a quantidade de cafeína que ingere pode estar acima do ideal.


Informações diferentes da realidade

As bebidas energéticas são, na verdade, “compostos prontos para o consumo”, à base de taurina, glucoronolactona, cafeína e inositol. As embalagens não costumam descrever todos esses elementos em sua denominação de venda, mas, não se engane: a composição de todos eles leva os mesmos componentes, mas com quantidades distintas, independentemente de a descrição no nome do produto parecer ser diferente. Não há distinção técnica entre os produtos vendidos em lata ou garrafa PET. Vale ressaltar que uma marca, a Sports Drinks, possui versões de embalagens com times de futebol, mas a composição química é igual. Os rótulos são bastante informativos, mas a maioria não traz a data de fabricação. Isso impede o consumidor de escolher o produto mais fresco. E no da Red Hot, o alerta obrigatório para crianças, gestantes, nutrizes, idosos e portadores de enfermidades não está em destaque e nem em negrito, como deveria.


Não confie tanto na tabela nutricional

O 220V diz ter quase 30% mais valor energético e o teor de carboidratos do que realmente tem. Já em relação ao sódio, apenas o Atomic e o Bad Boy declaram fielmente o valor desse mineral. Os demais ou declaram ter mais sódio do que realmente têm ou menos (caso do Vulcano e do Flying Horse). Há também uma grande diferença entre o declarado e o medido nas quantidades de glucoronolactona, carboidrato derivado da glicose, essencial para a desintoxicação e o metabolismo de algumas substâncias químicas. Quatro produtos têm essa discrepância: Atomic, Moster, Night Power e Red Hot. Como cafeína demais pode fazer mal, há limites máximos para as quantidades da substância que os produtos podem ter. Todos estão dentro das recomendações da lei (35mg de cafeína para cada 100ml de produto). No entanto, atenção à quantidade que você consome. Uma ingestão moderada é de aproximadamente 300mg por dia. Tomando de três a quatro latas de 270ml das bebidas testadas, você alcança essa valor. E, provavelmente, há outras fontes de cafeína na sua dieta.


Prós e Contras da Cafeína

Após a ingestão, a cafeína fica no organismo por apenas quatro a seis horas e seus efeitos sobre o corpo são constantemente alvo de pesquisas. Entre seus benefícios comprovados, está a estimulação do sistema nervoso central, diminuindo a fadiga e aumentando o estado de alerta. Além disso, a cafeína estimula a broncodilatação e induz ao aumento da respiração. Só que, no sistema cardiovascular, em doses elevadas, essas substâncias aumentam os batimentos do coração. Assim, o consumo excessivo pode acarretar palpitações, convulsões, dores de cabeça e de estômago, insônia, perda de apetite, náusea, vômito, depressão, entre outros problemas. Estudos mostram que as pessoas que consomem diariamente 600mg de cafeína, a após suspenderem o uso, têm sintomas de abstinência, como letargia , irritabilidade e cefaléia. O consumo de cafeína no dia a dia normalmente dá pela ingestão de café, chá, chocolate e refrigerantes. Entre estes, o café é a fonte mais rica em cafeína. Mas os energéticos ultrapassam os refrigerantes de cola e o chá preto. Veja abaixo quanto de cafeína cada alimento traz em medida:

- energético 270ml (79mg de cafeína)
- refrigerante de cola 350ml (31mg de cafeína)
- café expresso 60ml (60mg de cafeína)
- chá preto 150ml (35mg de cafeína)
- chocolate 70g (61,5mg de cafeína)


Sacarose além do ideal pede moderação

Os teores de sódio das bebidas são baixos e não representam riscos para as pessoas que sofrem de hipertensão. Já em relação ao açúcar (sacarose) alguns produtos passam da conta. Vulcano é a bebida com mais açúcar. Bebendo um pouco mais que duas latas de 270ml, você atinge o limite diário máximo de açúcar recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). As bebidas com açúcar demais foram classificadas na tabela como “fracas” e devem ser evitadas. Sports Drinks e Pânico, segundo análise laboratorial, não contém açúcar – apesar de esta informação não estar no rótulo, que, pelo contrário, coloca a sacarose quase no topo da lista de ingredientes. Assim, o sabor doce e o conteúdo energético, por lógica, derivaria de edulcorantes artificiais (adoçantes) ou de outros tipos de carboidratos em sua composição. Porém, pela lista de ingredientes, não há adição de edulcorantes artificiais.


Não confunda Energéticos com Isotônico

Cuidado para não ingerir bebidas energéticas pensando se tratar de isotônicos (aquelas que se toma para reidratar o organismo). Os isotônicos não possuem cafeína em sua composição, são indicados para esportistas e suas principais funções são repor os sais minerais perdidos pelo suor, hidratar e recompor as reservas de glicogênio. Já as bebidas energéticas, ao contrário podem até levar à desidratação.



Saiba mais sobre os Energéticos: Mitos e verdades sobre a bebida

Fonte: Revista ProTeste - Ano IX - Nº99



Arquivado em | , .





Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):