| em 20 maio 2011

Precipitação: Um mal que gera transtornos e inúmeros prejuízos

A doença da pressa ou síndrome da pressa é um transtorno mental causada principalmente pelo ritmo frenético em que a sociedade moderna se subemete nas zonas urbanas e no trabalho. O aumento excessivo de ansiedade é o principal fator que causa a síndrome da pressa.


Agência Unipress Internacional

Pessoas precipitadas dificilmente acertam em suas escolhas. O que caracteriza a personalidade de uma pessoa precipitada é justamente o fato de não saber esperar a hora certa para agir ou falar. As pessoas precipitadas são munidas de uma impaciência sem limite.

A frustração da espera pode parecer infinita, mas uma coisa é certa: quem sabe esperar sempre sai lucrando. Como diz o provérbio popular: “O apressado come cru.” O precipitado, normalmente, tem dificuldade de pensar nas conseqüências.

A psicóloga Leila Cury Tardivo, graduada pela USP e professora do Instituto de Psicologia da Universidade, afirma que é difícil generalizar. “Em geral, a precipitação tem a ver com uma dose de impulsividade e uma dificuldade de pensar antes de agir ou de falar”, explica a especialista.

Leila diz que sempre é possível ajudar as pessoas nessa situação, principalmente àquelas com quem se convive. “Dar um toque pode ajudar, mas se a impulsividade é mais intensa e constante, a pessoa precisa de tratamento e ajuda profissional”, alerta.

A psicóloga acredita que, em geral, a psicoterapia ajuda a pessoa a conhecer a sua própria realidade. “Se a impulsividade for mais intensa, é bem interessante aliar o tratamento a uma medicação”, diz Tardivo, observando que os resultados são satisfatórios.

Para a especialista, o precipitado normalmente sabe o que está fazendo, mas não consegue se controlar. A psicóloga explica que há uma falha na função do controle e pode haver um arrependimento depois. Ela esclarece que há uma sensação de culpa, que também pode não ajudar. “O ciclo vicioso se mantém e muitas vezes se fortalece. Há casos em que a pessoa fica fora de si e parece não saber o que está fazendo ou falando”, explica.

De acordo com Leila, há pessoas (aí são casos que necessitam mesmo de uma ajuda) que, ao parar para pensar, ficam paralisadas, não conseguindo falar ou agir. “Quando agem ou falam, não conseguem pensar”, observa. A psicóloga revela que essas pessoas trazem também mais sofrimento para aqueles com quem convivem.

Ela também afirma que são muitas as causas que justificam a precipitação em uma pessoa. Segundo a especialista, dependendo da intensidade, pode ser uma dificuldade ligada ao crescimento, uma imaturidade.

Leila deixa claro que adolescentes costumam ser mais impulsivos, pois é uma característica própria da idade. “Pode ter a ver com modelos de identificação, com a história de vida e em alguns casos mais intensos com uma situação familiar (genética)”, afirma.

A psicóloga observa que sempre é possível ajudar essas pessoas, falando de uma forma que seja proveitosa, útil e que as ajude a viver melhor.


Veja também:
Ansiedade Generalizada: saiba como tratá-la
Deixe a pressa e viva melhor


Fonte: Folha Universal



Arquivado em | , .





Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):