| em 11 junho 2011

Café - Uma faca de dois gumes

Afinal, Café faz bem ou mal à saúde?

Existe muita polêmica sobre a bebida mais consumida do mundo, o café. No entanto, pouca gente sabe que o consumo de doses moderdas dessa bebida pode trazer muitos benefícios á saúde do homem, além do prazer da degustação. Estudiosos já consideram o café um alimento funcional, que previne doenças, ou até mesmo nutracêutico, que proporciona benefícios tanto para manter a saúde quanto para tratar doenças.

"Na verdade, o que é prejudicial para a saúde são os excessos", explica Camila Lemos, nutricionista especializada em nutrição esportiva.

Doses terapêuticas de cafeína estimulam o coração aumentando a sua capacidade de trabalho, produzindo também dilatação dos vasos periféricos.

Modelo tridimensional de uma molécula de cafeína. Uma xícara média de café contém, em média, cem miligramas de cafeína. Já numa xícara de chá ou um copo de alguns refrigerantes encontram-se quarenta miligramas da substância. Sua rápida ação estimulante faz dela poderoso antídoto à depressão respiratória em consequência de intoxicação por drogas como morfina e barbitúricos.

A ingestão excessiva pode provocar, em algumas pessoas, efeitos negativos como irritabilidade, ansiedade, agitação, dor de cabeça e insônia. Os portadores de arritmia cardíaca devem evitar até mesmo dossagens moderadas, ainda que eventuais, da substância. Altas doses de cafeína excitam demasiadamente o sistema nervoso central, inclusive os reflexos medulares, podendo ser letal. Estudos demonstraram que a dose letal para o homem é, em média, de 10 gramas.

Estudos recentes indicam que algumas substâncias presentes no café podem ajudar na prevenção de demências e do mal de Alzheimer, diz a especialista. Outro estudo indica, ainda, que a cafeína retarda a deterioração mental em mulheres idosas. A bebida ainda atua sobre a memória de portadores de doenças degenerativas, pois a cafeína age como estimulante do sistema nervoso central.

“A frequência de ingestão, os hábitos alimentares, o estilo de vida e a predisposição genética do indivíduo para o desenvolvimento de algumas doenças poderão influenciar os efeitos do café na saúde”, diz Camila. Os impactos positivos do café sobre o organismo humano parecem superar os negativos, no entanto, não se deve ultrapassar a dose recomendada, finaliza

Um estudo recentemente publicado no “Breast Cancer Research" vem sugerir que as mulheres que bebem café regularmente têm menor risco de desenvolverem cancro da mama. Os investigadores do instituto sueco Karolinska descobriram que o café tem um efeito protector no desenvolvimento de um tipo de tumores, os negativos para receptores de estrogénios (ER-negativos), ou seja, que não dependem da estimulação hormonal (estrogénios) para o seu crescimento.

O estudo teve uma amostra de 5,929 mulheres suecas, entre os 50 e os 74 anos, sendo que cerca de metade tinha cancro da mama, e pretendia avaliar a relação entre os estilos de vida (tabagismo, hábitos cafeínicos, ...) e o cancro da mama.

As mulheres que bebiam cerca de cinco chávenas de café por dia tinham um risco entre 33 e 57% mais baixo de ter cancro da mama (tipo ER-negativo) do que aquelas que consumiam menos de um café diário.

No entanto, fica por explicar a verdadeira causalidade deste estudo, tal como o motivo pelo qual se verifica esta associação.

Mas uma vez mais serve para acabar com o mito de que o café faz mal. Exceto uma população muito específica que não deve beber café (ex: doentes com crises hipertensivas, doentes com arritmias cardíacas ou úlceras), para a maioria da população o café não só não é nocivo, como tem vindo a ser provado ter diversos efeitos benéficos:

- diminui o risco de cancro do fígado

- diminui o risco de doenças neurodegenerativas (Parkinson e Alzheimer)

- diminui o risco de diabetes mellitus

E curiosamente quanto maior o consumo, maior a proteção para estas doenças.

Também durante a gravidez não há uma contra-indicação formal, só o excesso será deletério, pelo que 2 ou 3 cafés diários não parecem trazer qualquer risco à mãe ou ao feto, mas... EVITE O EXCESSO.

(12/12/2012) Um novo estudo da American Cancer Society descobriu uma ligação entre o consumo de café e a redução do risco de morte por câncer de boca e garganta.

Pessoas que bebem mais de quatro xícaras de café por dia têm metade da probabilidade de morrer da doença em comparação com aquelas que bebem café ocasionalmente ou não bebem.

A equipe analisou o consumo de café e chá entre pessoas inscritas em um estudo nacional iniciado em 1982. Entre 968.432 homens e mulheres que estavam livres do câncer no momento da inscrição, 868 morreram de câncer de boca e garganta durante 26 anos de acompanhamento.

Beber mais do que quatro xícaras de café por dia foi associado a um risco 49% menor de morte por câncer oral / faringe em relação a nenhum consumo da bebida. Nenhuma relação significativa foi encontrada entre o café descafeinado, e nenhuma ligação para o chá.

"Nós não estamos recomendando às pessoas que bebam quatro xícaras de café por dia. Esta é apenas uma boa notícia para aqueles que gostam de café. É preciso haver mais pesquisas consistentes antes de podermos apoiar a conclusão de que o café deve ser consumido para a prevenção do câncer", afirma a autora Janet Hildebrand.
Fonte: www.isaude.net


1 - QUANTIDADE EXCESSIVA

Malefícios

• A cafeína pode causar fortes oscilações da glicose no sangue, causando hipoglicemia (baixa de açúcar no sangue). Os sintomas incluem fraqueza, nervosismo, sudorese, tremores e palpitações cardíacas.
• A cafeína pode aumentar a pressão arterial e o colesterol.
• A cafeína pode afectar a produção de ácido clorídrico no estômago, causando uma má digestão. Ela está associada com risco aumentado de úlceras, refluxo ácido, e síndrome do intestino irritável.
• A cafeína pode causar irritação na pele.
• A cafeína pode ter um efeito prejudicial no corpo de equilíbrio cálcio-fósforo, que é associada com artrite reumatóide e osteoporose (ossos porosos).
• A cafeína pode piorar a sua síndrome pré-menstrual, e os sintomas da menopausa.
• A cafeína pode afectar a qualidade do seu sono. O facto de você ter construído uma alta tolerância a cafeína não significa que a qualidade do seu sono não fique comprometida. A cafeína pode também agravar os sintomas de insónias, ataques de pânico e ansiedade.
• A cafeína pode aumentar o risco de aborto espontâneo, malformações congénitas, tais como fenda palatina, e baixo peso à nascença em bébés. As mulheres grávidas devem evitar sempre a cafeína. A cafeína é uma droga estimulante que facilmente atravessa a placenta para o feto em desenvolvimento e também é transmitida através do leite materno.
• Se você toma regularmente mais de 100 mg de cafeína (cerca de metade de um copo de café) por dia, provavelmente você está viciado em cafeína e pode ter alguns sintomas de abstinência, como dores de cabeça , fadiga, irritabilidade, dificuldade de concentração e rigidez muscular.
• Beber café reduz o cálcio no organismo.


2 - QUANTIDADE MODERADA

Benefícios para a saúde

Embora o café esteja associado a inúmeros riscos para a saúde, a pesquisa sugere também que apresenta uma série de benefícios para a saúde prestados a beber pelo menos duas chávenas por dia. A evidência indica que o café proporciona efeitos protectores para as seguintes doenças:

• Cirrose hepática
• Doença de Alzheimer
• Asma
• O cancro do cólon
• Diabetes tipo 2
• Os cálculos biliares
• Alguns tipos de dores de cabeça
• A doença de Parkinson
• Golpes

A) No cérebro

• Aumenta o desempenho psicomotor e estados de vigília, atenção e humor
• Reduz o risco de suicídio
• Evita o aumento da pressão arterial durante estresse mental
• Reduz o risco de declínio cognitivo e demência incluindo a Doença de Alzheimer
• Reduz o risco de desenvolver a Doença de Parkinson
• Reduz o risco de isquemia cerebral entre fumantes

B) No exercício físico

• Reduz a freqüência cardíaca e percepção de dor muscular em atividade aeróbica
• Retarda a fadiga muscular no exercício aeróbico e anaeróbico

Tem também benefícios se um adolescente quiser tomar café para estudar. No entanto, se você bebe dois copos de café por dia, o seu corpo já está viciado à estimulação regular da cafeína. É afinal uma escolha pessoal para pesar os benefícios do consumo de café e os seus efeitos sobre os efeitos na saúde.

Conclusão

Apesar das muitas alegações de saúde, a cafeína é uma droga estimulante. A dependência regular da cafeína pode melhorar o desempenho, e salienta o corpo da mesma maneira que todas as tensões da vida.


Referências:pt.wikipedia.org | cuidadossaude.com | oqueeutenho.uol.com.br | www.icbneuro.com.br | coursejournal_medicina.blogs.sapo.pt

Postagem atualizada em 12/12/2012



Arquivado em | , .





Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):