| em 06 fevereiro 2012

Os benefícios da dieta mediterrânea


Quem não gostaria de viver em um local que fosse reconhecido mundialmente pelo fato de seus habitantes apresentarem uma vida saudável, com os menores índices de doenças crônicas?

Pois, essa região é a mediterrânea! Formada por países de três continentes diferentes - Itália, Espanha, Grécia, Iugoslávia, França e Albânia (da Europa), Egito, Líbia, Tunísia, Argélia e Marrocos (da África), Turquia, Israel, Síria e Líbano (da Ásia) - onde todos são banhados pelo mesmo Mar: o Mediterrâneo.

Apesar das inúmeras diferenças culturais, econômicas e sociais entre eles, certas características geográficas (clima, temperatura, solo) influenciaram sua agricultura e, conseqüentemente, seus hábitos alimentares, ao longo dos séculos.

A dieta dos países mediterrâneos é composta pelo alto consumo de frutas, hortaliças (verduras e legumes), cereais, leguminosas (grão-de-bico, lentilha), oleaginosas (amêndoas, azeitonas, nozes), peixes, leite e derivados (iogurte, queijos), vinho e azeite de oliva.

Mas, o que a faz diferente em relação à alimentação das outras regiões do mundo? Há um baixo consumo de carnes vermelhas, gorduras de origem animal, produtos industrializados e doces (ricos em gordura e açúcar).


Benefícios da Dieta do Mediterrâneo

A dieta do mediterrâneo vai muito além da perda de peso. Por causa do novo grupo de alimento presente no organismo, quem ganha mesmo são os órgãos vitais para a nossa saúde.
O coração fica longe de infartos, o risco de câncer diminui, a qualidade da pele melhora, e o cérebro fica mais ávido, porque retarda os danos causados pelo envelhecimento. Além disso, a dieta do mediterrâneo produz longevidade.

O consumo de alimentos com pouca gordura e mais gordura saudável é que permite o organismo ter mais vivacidade e qualidade em todas as suas funções. www.dietasealimentos.com.br

Analisando os principais benefícios provenientes dos alimentos dessa dieta (Quer comer de forma saudável e emagrecer? Clique aqui e veja como!), temos:

Frutas e hortaliças: por conterem grande quantidade de fibras e antioxidantes (como beta-caroteno, licopeno, vitaminas E e C) previnem o câncer.

Cereais: são essencialmente fornecedores de energia para o organismo; mas, se forem integrais, também contribuem com vitaminas do Complexo B, vitamina E, selênio e fibras.

Leguminosas: são fonte de fibras e proteínas vegetais. As fibras combatem a constipação, evitam o câncer do cólon e reto (regiões do intestino grosso) e diminuem o nível do colesterol "ruim" (LDL) prevenindo o aparecimento das doenças cardiovasculares.

Oleaginosas: por possuírem ácidos graxos mono e poliinsaturados, as oleaginosas reduzem a chance da pessoa desenvolver a hipercolesterolemia (colesterol alto no sangue). No entanto, quem faz um plano alimentar, com objetivo de emagrecer, não deve exceder em seu consumo, pois apesar das inúmeras vantagens, elas são muito calóricas.

Peixes: são ricos em ácidos graxos ômega - 3, dessa forma, atuam contra o aparecimento de uma variedade de doenças, incluindo hipertensão, aterosclerose, doenças do coração e câncer.

Iogurtes: além de serem fonte de cálcio, contém lactobacilos (microorganismos vivos). O cálcio contribui para a prevenção da osteoporose e os lactobacilos beneficiam nossa flora intestinal, combatendo os microorganismos patogênicos que possam estar presentes nos intestinos.

Vinho tinto: por possuírem uma alta quantidade de flavonóides (antioxidantes), o vinho tinto evita a formação de placas de gorduras na parte interna dos vasos sanguíneos (ateromas), e por conseqüência, diminui o risco para o desenvolvimento das doenças cardiovasculares. De acordo com a cultura mediterrânea, o consumo do vinho tinto deve ocorrer durante as refeições, pois a presença de alimentos ameniza os efeitos tóxicos do álcool no organismo.

Azeite de oliva: é rico em fenóis (antioxidantes) e em ácido graxo monoinsaturado, sendo que o último atua no aumento da taxa do colesterol "bom" (HDL), favorecendo nosso coração. Segundo o costume do povo mediterrâneo, o ideal é consumi-lo diariamente, para temperar as saladas, regar um peixe ou carne que irá assar, fazer um arroz... Mas, não podemos esquecer que o azeite, assim como qualquer outra gordura, é calórico. Portanto, seu consumo não deve ser exagerado!

Podemos observar que os alimentos que compõem a dieta mediterrânea são fontes de vitaminas, minerais, ácidos graxos mono e poliinsaturados, fibras e antioxidantes. Além disso, são facilmente encontrados aqui, no Brasil. Portanto, se desejamos ter uma vida longa, com saúde; devemos iniciar a introdução desses alimentos em nossas refeições diárias.

Por Roberta Stella - Nutricionista formada pela Universidade de São Paulo (USP) cyberdiet.terra.com.br


RECEITAS

Caponata Siciliana

Prato típico da Sicília, pode ser consumido quente ou frio, como entrada, molho para macarrão ou acompanhamento de carne, peixe e queijo.

Ingredientes:

4 berinjelas médias;
6 folhas de aipo;
2 cebolas;
5 tomates maduros;
150g de azeitonas verdes sem caroço;
2 colheres de alcaparras;
1 colher rasa de açúcar;
3 colheres de vinagre de vinho tinto;
10 colheres de azeite extra-virgem de oliva;
manjericão;
sal e pimenta-do-reino.

Modo de Fazer:

Lavar as berinjelas e cortá-las em cubinhos, salgar e deixá-las em um escorredor por cerca de uma hora, para que percam o sabor amargo. Enxaguá-las e enxugar com papel de cozinha. Lavar o aipo, cortá-lo em pedaços e colocar para ferver em água por 10 minutos. Depois, escorrer muito bem. Lavar os tomates, tirar a casca, eliminar as sementes e cortar em pedacinhos. Cortar as azeitonas ao meio. Lavar muito bem as alcaparras e cortar as cebolas bem finas. Esquentar o azeite em uma panela ou frigideira grande e fritar as berinjelas por 3 minutos ou até que fiquem douradas. Retirá-las e reservar. No mesmo azeite, refogar as cebolas e o aipo, acrescentar o tomate, as azeitonas e as alcaparras. Temperar com sal e pimenta e deixar em fogo brando por 5 minutos. Acrescentar então as berinjelas e deixar cozinhando por mais 10 minutos, mexendo pouco e delicadamente. Adicionar o açúcar e o vinagre. Mais 4 minutos de cozimento e está pronto. No final, temperar com o manjericão picado. Serve quatro pessoas.


Fresella

Ingredientes:

torrada de pão amanhecido;
tomate maduro;
cebola;
aipo;
azeitonas verdes;
orégano;
azeite extra-virgem de oliva;
sal;
manjericão.

Modo de Fazer:

Cortar o tomate em cubos. Picar a cebola, o aipo e as azeitonas verdes. Temperar com sal e azeite. Misturar bem. Completar acrescentando folhas de manjericão picadas e cobrir, com essa mistura, as fatias de pão.


Pasta com sardinhas

Ingredientes:

500g de pasta curta;
500g de sardinhas frescas e limpas (sem cabeça e espinha);
200g de erva-doce (com as folhinhas);
3 fatias de alici;
50g de uva-passa (deixar de molho na água por alguns minutos e depois coar e enxaguar);
50g de pinoli;
cebola;
um envelope de açafrão;
azeite extra-virgem de oliva;
sal e pimenta-do-reino.

Modo de Fazer:

Lavar as sardinhas e o alici. Lavar e aferventar a erva-doce em água salgada e, quando estiver cozida, cortar em fatias finas. Guardar a água do cozimento. Colocar quatro ou cinco colheres de azeite de oliva extra-virgem em uma panela. Esquentar e acrescentar as fatias de alici. Mexer até que elas desmanchem e, em seguida, acrescentar o pinoli e a uva-passa. Desmanchar o açafrão na água de cozimento da erva-doce e juntar ao peixe. Deixar em fogo brando por cinco minutos. Depois, adicionar a erva-doce e as sardinhas. Acrescentar então o sal e a pimenta-do-reino. Cobrir a panela e deixar terminar o cozimento. Levar água ao fogo para cozinhar a massa, juntando a água onde foi cozida a erva-doce. Quando ferver, colocar o macarrão. Quando cozido, coar, colocar em uma travessa e cobrir com o molho de sardinhas. Se preferir, pode finalizar com um pouco mais de azeite. Serve seis pessoas.


Peixe-espada marinado

Ingredientes:

4 fatias de peixe-espada;
orégano, sal, pimenta e azeite extra-virgem de oliva;
alho;
limão.

Modo de Fazer:

Deixar as fatias de peixe-espada de molho em um recipiente com azeite, um dente de alho picado, orégano, sal e pimenta durante uma hora. Cozinhar as fatias na grelha, temperar com o líquido onde ficou de molho, aquecido por alguns minutos, e servir com fatias de limão. Serve quatro pessoas.

Via GloboRepórter com informaççoes do www.mundodastribos.com


Penne com bacalhau, manjericão, tomates e azeitonas pretas

300 grs de bacalhau já limpo , dessalgado , cozido e desfiado
20 azeitonas pretas cortadas em quartos
8 folhas de manjericão grande rasgadas com a mão
4 tomates sem pele e sem semente em cubos
4 colheres de azeite
2 dentes de alho picado
500 grs de penne sal e pimenta a gosto

Cozinhe o penne em água abundante com sal até ficar ao dente . Escorra .Refogue o alho no azeite , junte o tomate , depois o bacalhau e deixe cozinhar ate que o tomate fique macio. Acrescente as azeitonas pretas e o manjericão . Misture o penne ao bacalhau ainda no fogo para que incorpore um pouco do molho . Arrume em uma travessa , ou em pratos individuais , decorando com manjericão grande.


Salada de Trigo Integral em Grão

1 copo de trigo em grão
2 peitos de frango
100g de vagem cozida
¼ de xícara de vinagre balsâmico
2 dentes de alho esmagado
1 colher de chá de tomilho
1 colher de chá de óregano
1 colher de chá de alecrim
½ xícara de azeitona preta sem caroço

Salada verde

50g de queijo árabe (chanclich) esmagado
Cozinhe o trigo em quantidade elevada de água até amaciar (cerca de 40 min). Escorra, deixe esfriar e reserve. Cozinhe o frango em água e sal e corte-o em cubos. Deixe esfriar e misture ao trigo. Cozinhe a vagem picada em água e sal, por cinco minutos. Deixe esfriar. Misture ao trigo, coloque o alho, a vagem e as ervas. Incorpore o azeite aos poucos. Coloque as azeitonas e o tomate. Corrija o sal e a pimenta, colocando sobre a salada verde e polvilhe o queijo esmigalhado. bemstar.globo.com

Veja também:
- Cardápio da Dieta do Mediterrâneo
- Os benefícios das frutas oleaginosas



Arquivado em | , , , .





Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):