| em 29 agosto 2012

Em busca da felicidade

O valor das pequenas coisas

Faço questão de ressaltar que a vida não é apenas tristeza, sendo feita de inúmeros momentos felizes.
Por isso, devemos tomar cuidado com a busca pela felicidade absoluta porque, ao fazer isso, deixamos de valorizar as pequenas coisas que constroem a verdadeira alegria de viver.



Leitora pergnta: “por que passamos por tantos sofrimentos e problemas para alcançarmos a felicidade?

A resposta está nas palavras de Deus


Amor de pai

• Sofrimentos, problemas e tribulações fazem parte da condição humana. No entanto, insisto sempre em afirmar que Deus nos criou para sermos felizes e não para sofrermos.

• Se você for mãe, entenderá, pois com certeza não gerou seus filhos para passarem maus pedaços na vida, porém, tudo dependerá das próprias escolhas deles, e ninguém poderá fazer isso por eles. Como pessoas livres, seguirão seus caminhos; você poderá orientá-los, mas não viver a vida por eles. Poderá sofrer com eles, mas não evitar que sofram.

• O mesmo ocorre em nossa relação com Deus: seu plano para nós não era o mundo como conhecemos hoje, contudo, a desobediência e o orgulho do primeiro homem fizeram com que perdêssemos nossa “regalia”. Por outro lado, certamente não perdemos o amor de Deus. Por amor, ele se revelou plenamente em Jesus Cristo, que nos ensinou ser a cruz parte da vida e, se Deus, por respeito à nossa liberdade, não pode evitar que soframos, ele está conosco no sofrimento.


Caminho de fé

• Jesus nos deu a receita para a felicidade, pois “bem-aventurados” quer dizer “felizes”, como consta no capítulo 5 do evangelho de São Mateus: “Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados! (...) Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus! Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim”.

• Assim, os sofrimentos não podem ser entendidos por nós como um castigo. Não se trata de ser masoquista e gostar de sofrer, mas de enxergar a realidade como ela é: os problemas existem e sempre farão parte da nossa vida.

• Porém, essas provações somente terão sentido se não forem vistas como algo inútil, vazio, pois podem constituir-se em um aprendizado valioso caso resultem, por exemplo, em transformação e conversão. Se compreender isso, filha, sua pergunta não se concentrará mais no por que sofrer e passará a questionar para que o sofrimento está servindo.

Lembre-se: “estai alerta para que ninguém deixe passar a graça de Deus” (Hb 12, 15), ou seja, os momentos felizes são graças de Deus.

Papo de fé com Pe. Reginaldo Manzotti, coordenador da Associação Evalgelizar é preciso | www.padrereginaldomanzotti.org.br

Revista Malu - Ano 14 - Nº 525 - www.revistamalu.com.br



Arquivado em | .





Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):