| em 21 setembro 2012

Entendendo e aprimorando a comunicação na relação

Psicólogo Alessandro Vianna explica a diferença entre a comunicação do homem e da mulher

Ter alguém ao lado, curtir momentos juntos, trocar confidências, assistir aquele cineminha, enfim, ter uma parceria é tudo de bom, não é verdade?

O texto a seguir é sobre um assunto que vejo com extrema importância dentro de um relacionamento: a diferença entre a comunicação do homem e da mulher.

Nunca existirá nenhum tipo de relacionamento, seja afetivo ou profissional, que consiga prosperar sem uma comunicação correta.

Em primeiro lugar, quero falar um pouco sobre nossa história ancestral: o homem, como o “grande caçador”, era o responsável por buscar o alimento para sua família. Sendo assim, se especializou em um padrão de visão mais focada no alvo, objetivamente, ou seja, não poderia errar: era matar ou morrer. Isso é uma herança que vem desde a pré-história, porque ele tinha que ser certeiro para conseguir perpetuar a espécie. Já a mulher fazia várias coisas ao mesmo tempo: cuidava dos filhos, preparava o alimento, cuidava do ambiente.

Baseado nesta linha histórica, que obviamente não ignoramos a evolução, a mulher tem uma percepção mais ampla, enquanto o homem é mais objetivo.

Quando ouço alguma mulher me dizer que já deu “altos toques” para o parceiro, brinco com a seguinte expressão: Quem dá toque é jogador de futebol, de basquete, de vôlei! Nunca, absolutamente NUNCA fale com um homem usando simbolismos ou indiretas. Isso lhe causará uma enorme frustração por, na maioria das vezes, não obter o resultado que imaginava. O homem sempre entenderá melhor uma comunicação mais direta.

Cito um exemplo básico para ser emergencialmente alterado, caso você queira fazer algo que eventualmente não esteja na dinâmica do casal. Veja:

Amor, outro dia minha amiga foi ao cinema assistiu um filme maravilhoso.

Neste caso, vamos considerar que a mulher tinha como objetivo que seu parceiro percebesse que ela queria também ir ao cinema. Troque por:

Amor, quero ir a cinema este final de semana.

Ficar “emburrada, de bico” também não é comumente entendido pelo homem. Ele pode pensar apenas que a mulher está de TPM, afinal, este seria um bom argumento. Nada muda e o relacionamento continuará com o mesmo problema pela falha da comunicação.

Outra reclamação constante das mulheres: meu parceiro não fala de sentimentos, não se abre, fica introspectivo. Como disse no começo do texto, os homens são mais focados, portanto, sempre apresentarão dificuldades para “navegar” por seus sentimentos. É neste momento que deve-se respeitar seu silêncio e deixá-lo buscar sua própria resposta.

Agora para meus amigos homens, quero expressar em negrito: AS MULHERES SÃO SENSÍVEIS!!!! O que quero dizer com isso? Diferente daquele seu amigo que está tomando aquele chope gelado e que você, com a maior liberdade possível e com extrema objetividade diz que está com uma “pança” horrível e ele retruca possivelmente com um sonoro palavrão, pedindo em seguida uma nova rodada de chope, a mulher certamente gravará expressões mal colocadas para o RESTO DE SUA VIDA, podendo causar um estrago irreversível na relação.

Obviamente, tanto os homens quanto as mulheres reagem melhor à motivação, porém, enquanto a cobrança direta tem um resultado mais positivo com o homem, para a mulher o efeito será negativo. No lugar de criticar diretamente sua parceira, por que não dizer de uma forma carinhosa que você adorava o corpo dela, propondo fazerem juntos uma atividade física? Você atingirá o objetivo, promoverá uma maior aproximação e se cuidará também! As mulheres precisam ser ouvidas, compreendidas e acolhidas.

Deixo uma sugestão:

Quando escolhemos alguém para ficar ao nosso lado, necessariamente estamos falando de parceria em todos os aspectos da vida, portanto, tenha sempre uma comunicação sincera, honesta, lúcida e sem ironia. Uma boa comunicação não significa que podemos falar tudo o que vem à cabeça sem pensar antes na forma mais adequada. Em momentos de raiva ou no meio da briga, controle-se. As palavras mal colocadas podem causar grandes estragos. Em um momento de discussão, lembre-se que sempre estaremos “armados” para a guerra, portanto, manter o equilíbrio, esperar o ânimo baixar, pode ser um grande passo para um relacionamento mais feliz e equilibrado.

Lembre-se: muitas vezes conceder é sinônimo de sabedoria. As pessoas têm seus lados positivos e negativos, e é isso que torna o mundo incrivelmente diferente!


Alessandro Vianna é psicólogo clínico e sente um enorme prazer em estudar e entender o comportamento humano. Conheça melhor o seu trabalho. Envie suas dúvidas para o e-mail falecomigo@alessandrovianna.com.br, e conte sua história.

Rua Palestina, 359 - Vila Mascote - São Paulo - SP
Fone: 5562.8086 / 5562.8159 - www.alessandrovianna.com.br



Arquivado em | , .





Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):