| em 03 outubro 2013

Compreendendo o que é marketing nas redes sociais

Você sabe que usar as redes sociais em favor da sua empresa tem uma série de vantagens que podem a alavancar? Mais importante que saber disso, você faz uso dessas práticas para levar um público cada vez maior a aceitar e concordar com o que a sua empresa diz? Você as usa para citar as ações de sua empresa e tornar seu serviço ainda mais conhecido? Essas são as primeiras perguntas a serem respondidas quando o assunto é marketing nas redes sociais.


A segunda, e provavelmente a mais importante, é: o que você está disposto a fazer para tornar seu serviço conhecido por um público cada vez maior? Sim, é impossível pensar em trabalho a sério em redes que, em geral, são tidas apenas como meio de comunicação prazerosa. Exatamente por esse fato: muitas pessoas a utilizam como lazer. Mas não é tão fácil quanto parece, algumas coisas precisam ser definidas, enquanto estratégias são elaboradas e esse tipo de marketing toma bastante tempo.


Conheça seu público

Tendo que começar por algum lugar, comece por aqui. Quem é seu público? Qual a faixa etária? Quanto tempo e quais os horários que ele acessa redes sociais como twitter, Facebook, youtube? São mais homens ou mulheres? Eles chegam até você procurando exatamente o quê? Eles encontram?

Perguntas básicas que precisam guiar toda e qualquer campanha a ser feita pela empresa a fim de levar mais pessoas até ela. Isso faz com que você atinja exatamente quem você pretende atingir e consiga a tender cada vez mais – e melhor – seus clientes.

Respostas rápidas

A interatividade é um dos pontos altíssimos das redes sociais. Ainda que não seja como um bate-papo propriamente dito, com respostas em segundos, é importante que o cliente se sinta bem atendido. Isso significa, por exemplo, que demorar mais de 24h para responder uma pergunta ou solicitação ou dúvida torna seu atendimento um pouco mais precário do que deveria ser.

Vale ressaltar que não apenas se deve responder, como também tentar resolver o problema (se for o caso) com o menor número de respostas possível. Se você demora até 24h para resolver uma situação, independentemente de qual seja, o cliente fica satisfeito. Se conseguir em menos tempo, melhor ainda. O que logicamente significa que demorar o dobro ou o triplo do tempo pode não ser muito favorável à imagem da sua empresa.


Mantenha as redes sociais atualizadas

Você conhece seu cliente, entende quais são suas buscas, necessidades e o que ele espera. Além disso, você já está acostumado a dar respostas rápidas (e, de preferência, descontraídas – lembre-se que as redes sociais são lugares de lazer). O próximo passo é manter todas as redes que sua empresa se encontra atualizadas.

Isso se liga diretamente à frequência. Se sua empresa tem um blog, por exemplo, o mínimo esperado para trazer retorno é de um post por semana – se for um por dia melhor ainda. Se possuir twitter e uma página no Facebook, essa uma postagem torna-se obrigatória, assim como muitas outras ao longo do dia. Enquanto o Facebook permite por volta de 3 ou 4 postagens diárias para se manter interessante, o twitter exige o dobro disso, fora os contatos com os clientes.


E o que isso tudo tem a ver com o que se chama Marketing Social? Bom, tudo. O termo criado por volta de 1971 significa tecnologia que, associada a um projeto, desenvolve uma campanha que levará o cliente a aceitar uma ideia (ou prática social, se for o caso).

O uso das redes sociais chega, então, a um novo patamar. Um que se liga diretamente à relação da empresa com o público alvo, unindo objetivos, desenvolvendo projetos e, claro, chamando atenção para a ideia que a empresa quer que seja comprada.


Por Pilar Diniz | SEO Master

+ 55 21 4126-1965
www.seomaster.com.br
Twitter: @seomasterbr



Arquivado em | , , .





Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):