| em 10 dezembro 2016

Quando as Luzes Se Apagam — Crianças e o medo do escuro



Se o seu filho já lhe fez esse pedido, ele tem medo do escuro. Aprenda a lidar com essa situação que é tão comum na infância, mas merece a atenção dos pais.

A luz apaga e a criança começa a chorar. Os relatos são os mais diversos, bichos debaixo da cama, sombras e monstros dentro do armário. se isso acontece com o seu filho, não menospreze! O medo do escuro é bastante comum e se a criança diz que se sente assustada, pode acreditar que não é manha.



Foto / Reprodução


"O medo do escuro faz parte do desenvolvimento da criança. todas sentem medo de coisas e pessoas em algum momento da vida, em especial, na fase dos três aos seis anos, quando a imaginação e as fantasias estão bem acentuadas".

O medo, na verdade, prepara o corpo humano para fugir de situações de perigo e é uma reação inata e instintiva. muitas crianças sofrem e transformam esse fato em um problema. o medo de ir ao banheiro durante à noite e os pesadelos são queixas freqüentes de pais e filhos nos consultórios.

Fiquem atentos, pois a causa pode estar relacionada a alguns contos e mitos que todo mundo aprende nas ruas, na escola e em todos os lugares. para driblar a situação é preciso diálogo e paciência.


Ausência Dos Pais

A hora de dormir é também o momento em que a criança se sente desprotegida, pois terá que ficar distante da proteção dos pais, da segurança que eles lhes transmitem. "Adormecer é perder o contato com seus protetores, e isso causa uma ansiedade". Além desses fatores, existem outros que desencadeiam o medo, um deles, por exemplo, é quando a família se muda de casa, e o novo quarto é completamente estranho para essa criança. "Se isso acontecer com freqüência, a criança tende a ter medo, pois vai levar um tempo para se adaptar o que vai exigir calma e paciência por parte dos pais".


Ajude Seu Pequeno

Para ajudar uma criança a perder o medo do escuro é necessário não menosprezar o se medo. "Respeitá-lo é fundamental. Com diálogo, carinho e muita paciência, tudo irá se resolvendo".

Deixar um abajur aceso e mostrar para o pequeno que dentro do seu quarto está tudo no seu devido lugar e que ele pode dormir com tranqüilidade é uma boa estratégia.

"Esse comportamento por parte do pais é fundamental para a criança se sentir tranqüila em dormir nos próprio quarto".

A criança também precisa expressar o seu medo, e os pais devem ouví-la sempre para que, assim, ela possa se sentir compreendida e aos poucos ter controle sobre esse sentimento. "É importante ressaltar que a forma como os pais enfrentam os seus próprios medos será aquela reproduzida pelos seus filhos". Ou seja, quanto mais autocontrole os pais tiverem mais vão conseguir transmiti-lo aos seus filhos.


De Olho Na Rotina Da Família

O medo do escuro é natural, desde que não afete a vida da família. "Não pode prejudicar demais o convívio social desta criança e também não pode causar muitas modificações no seu comportamento e na sua rotina".

Se isso acontecer, está na hora de buscar ajuda especializada. "Um psicólogo, irá ajudar essa criança, através de técnicas específicas e eficientes, a elaborar os medos e conflitos internos".


ATENÇÃO — Jamais force seu filho a dormir no escuro, achando que, com isso, ele perderá o medo, pois agindo assim, só irá piorar o quadro, fazendo evoluir, por exemplo, para uma ansiedade de nível alto ou uma síndrome do pânico, entre outros transtornos.


Consultoria: Marilene Kehdi, psicóloga e escritora.

Por Fernanda Mendonça | Fonte: Ponto De Encontro — a revista da Drogarias Pacheco, Nº 17



Arquivado em | , .





Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):